Goldman Sachs expande negociação de criptomoedas para clientes nos Estados Unidos

Oferta de produtos e soluções acompanha interesse crescente dos clientes do banco norte-americano .

Javier Paz e Emily Mason
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Depois do bitcoin, oferta de derivativos e negociação de ether (ETH) são focos do banco norte-americano

Acessibilidade


Poucos meses após relançar sua plataforma de negociação de criptomoedas e fornecer exposição ao bitcoin para seus principais clientes, o Goldman Sachs está agora expandindo sua atuação para o ether (ETH), token do ethereum, com liquidações financeiras e contratos de opções. Além disso, o banco planeja aumentar sua oferta de soluções para o bitcoin, adicionando a oferta de ETNs (Exchange-Traded Notes) da criptomoeda.

Em entrevista, o diretor de ativos digitais do Goldman Sachs, Matthew McDermott, observou que a instituição observou “muito interesse de clientes que estão ansiosos para negociar com esses ativos, pois consideram os atuais níveis como um ponto de entrada mais palatável”, em referência às quedas recentes nos preços do bitcoin e do ether em relação aos picos, nas faixas de US$ 64.000 e US$ 4.300 no exterior, respectivamente.

VEJA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O ether tem despertado otimismo entre investidores em criptomoedas por alguns motivos específicos. Em julho, a criptomoeda terá uma importante atualização que irá adicionar mais previsibilidade a suas taxas de transação, que se tornaram muito caras nas últimas semanas, bem como acrescentar elementos de escassez e pressões deflacionárias sobre o ativo.

O ativo também está fazendo um progresso significativo em sua esperada transição para um meio mais rápido de operar transações, que permitirá processar 100 mil transações por segundo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além disso, o maior mercado de derivativos do mundo, a CME (Chicago Mercantile Exchange), começou a oferecer futuros do ether em fevereiro, com boa atratividade nos primeiros meses de negociação. De fato, pode-se dizer que grande parte disso veio às custas da demanda por futuros de bitcoin. O interesse em futuros de ether cresceu 99% desde o início de abril (quando os primeiros dados foram disponibilizados), em comparação com uma queda de 23% observada em futuros de bitcoin no mesmo período.

Embora seja muito cedo para dizer se esse apetite é temporário ou um sinal do que está por vir, está claro que há demanda para a oferta. Os investidores de varejo de alta renda e os investidores corporativos estão por trás da maioria das compras de futuros do ether, enquanto os fundos de hedge se encontram na vasta maioria das vendas. O anúncio do Goldman é a mais recente indicação de que, apesar da atual volatilidade do mercado, o investimento institucional no setor das criptomoedas, especialmente em seus principais ativos, continua forte.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: