Ibovespa fecha em alta com disparada de 15% da Embraer e exterior positivo

O Índice Bovespa encerrou o pregão desta quinta-feira (10) com leves ganhos, avançando 0,13% aos 130.076 pontos, na esteira da valorização das commodities, em especial o minério de ferro na China, e do salto de 15% da Embraer ON, após a companhia anunciar que negocia a fusão de sua empresa de transporte aéreo urbano, Eve, com uma SPAC nos Estados Unidos.

Os drivers da sessão estiveram concentrados nos dados sobre a economia norte-americana. A inflação no país subiu 0,6% em maio, acima das expectativas do mercado, e fechou o mês acelerando 5,0% em 12 meses, na maior alta anual desde 2008. Por outro lado, os novos pedidos de seguro desemprego caíram para o nível mais baixo em 15 meses, para 376 mil solicitações na semana encerrada em 5 de junho, contra 385 mil do período anterior. O recuo marca a sexta semana consecutiva de queda nos pedidos.

“Hoje era um dia bastante importante na definição de curto prazo, com a taxa de inflação dos Estados Unidos. Ela veio um pouco acima do esperado, porém o mercado respondeu bem a essa situação, com bastante volatilidade no dia de hoje”, comenta Jansen Costa, sócio da Fatorial Investimentos.

Mauro Morelli, estrategista da Davos Investimentos, destaca que a alta [na inflação dos EUA] foi puxada principalmente pelas classes de ativos que têm acelerado com a reabertura econômica e que “o mercado cada vez mais está comprando a ideia de uma inflação passageira, alinhada ao discurso do Federal Reserve.”

O índice Dow Jones terminou o pregão em alta de 0,06% aos 34.466 pontos, enquanto o Nasdaq avançou 0,78% aos 14.020 pontos. Em máxima recorde, o S&P 500 avançou 0,47% aos 4.239 pontos na sessão.

No câmbio, o dólar registrou leve queda contra o real nesta quinta-feira, fechando o dia em baixa de 0,06% e negociado a R$ 5,0657 na venda, com investidores ignorando os dados norte-americanos de inflação, enquanto a perspectiva de aumento de juros no Brasil continuava sob os holofotes.

Morelli explica que a perspectiva de manutenção da política monetária acomodatícia nos EUA, combinada à tendência de elevação de juros no ambiente doméstico, é benéfica para o real. “O diferencial de juros começa a ficar mais atrativo para o Brasil, e fazia tempo que isso não acontecia”, afirmou.

Na próxima quarta-feira (16), o Federal Reserve e o Banco Central do Brasil encerram seus encontros de política monetária de dois dias. Por aqui, a expectativa é de elevação da taxa Selic a 4,25% ao ano, ante patamar atual de 3,5%.

Embraer negocia fusão com SPAC nos EUA

Os ganhos do pregão foram liderados pelos papéis da Embraer (EMBR3), que avançaram 15,6% a R$ 20,00, depois do anúncio que sua empresa de transporte aéreo urbano, Eve, iniciou discussões para uma eventual combinação de negócios com a Zanite Acquisition Corp, empresa de propósito específico de capital aberto nos Estados Unidos.

“As negociações com a Zanite estão em curso. A companhia não pode prever se a Eve chegará a um acordo definitivo ou quais serão os seus termos”, afirmou a Embraer em fato relevante enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

“A Embraer vem investindo em novas vertentes de tecnologia, e com a possível fusão, a Eve, da fabricante de aviões, com a Zanite, a empresa irá conseguir gerar maior valor, além de estar entrando em um novo mercado muito específico”, disse o analista Luis Sales, da Guide Investimentos.

As empresas de propósito específico, conhecidas pela sigla em inglês SPACs, levantaram US$ 99 bilhões em Wall Street até meados de abril, após um recorde de US$ 83 bilhões captados em 2020. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).