PIB do Japão encolhe menos no 1º trimestre com impacto menor na demanda doméstica

Masahiro Makino / GettyImages
Masahiro Makino / GettyImages

Mesmo menor que a leitura preliminar de contração do PIB, essa foi a primeira queda registrada pelo Japão em três trimestres

A economia do Japão encolheu menos do que o inicialmente informado no primeiro trimestre devido a cortes menores em gastos públicos e de capital, mas a pandemia de coronavírus ainda exerceu forte golpe sobre a demanda geral.

O Produto Interno Bruto encolheu 3,9% em dado anualizado entre janeiro e março, contra leitura preliminar de contração de 5,1%, mas ainda registrando a primeira queda em três trimestres, mostraram hoje (8) dados do Escritório do Gabinete.

LEIA MAIS: Junho pode iniciar recuperação dos EUA, com fim de seguro-desemprego e estádios cheios

O dado, melhor do que expectativa de economistas de recuo de 4,8%, equivale a uma contração trimestral real de 1,0% sobre o trimestre anterior, contra preliminar de queda de 1,3%.

A queda revisada do PIB deveu-se principalmente a um declínio menor em gastos públicos e de capital, compensando a queda ligeiramente maior no consumo privado.

“No geral, os gastos de capital e o consumo privado permaneceram fracos, o que mostrou fraqueza na demanda doméstica”, disse Takeshi Minami, economista-chefe do Norinchukin Research Institute.

Os gastos de capital encolheram 1,2% sobre o trimestre anterior, contra preliminar de queda de 1,4% e expectativa de perda de 1,2%. O consumo do governo caiu 1,1%, com preliminar de queda de 1,8%.

O consumo privado, que responde por mais da metade do PIB recuou 1,5% na comparação trimestral, contra estimativa inicial de perda de 1,4%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).