Por que El Salvador planeja a adoção do bitcoin como moeda oficial

Um dos países mais pobres da América Central, El Salvador deseja atrair investimentos estrangeiros com a criptomoeda

Carlie Porterfield
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Presidente do país, Nayib Bukele, trabalha em projeto de lei para substituir o dólar pela cripto como divisa oficial

Acessibilidade


O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, disse no sábado que apresentará um projeto de lei ao Congresso nesta semana para que o país adote formalmente o bitcoin como sua moeda legal. O anúncio é feito na esperança de que, como o primeiro país a usar oficialmente a criptomoeda, atrairá investimentos e permitirá que mais residentes participem da economia formal.

Durante participação em uma convenção virtual sobre o bitcoin, Bukele afirmou que a criptomoeda pode ser uma ideia inovadora e com potencial para lançar El Salvador em um futuro mais otimista.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A adoção do bitcoin no curto prazo criaria empregos e proporcionaria inclusão financeira a milhares de pessoas fora da economia formal, disse o presidente do país em referência aos 70% dos salvadorenhos que não têm conta em banco, sem dar detalhes sobre como a nova política funcionaria.

Ainda segundo o presidente de El Salvador, o bitcoin também ajudaria na atração de investimentos para o país. Com uma capitalização de mercado de US$ 680 bilhões, se apenas 1% do bitcoin fosse investido em El Salvador, o PIB do país aumentaria em 25%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Bukele acredita ainda que a moeda digital seria particularmente útil no dia a dia do país, já que cerca de um quarto do PIB (US$ 6 bilhões ao ano) são provenientes de remessas enviadas do exterior por milhões de cidadãos salvadorenhos que trabalham em outros países. A adoção do bitcoin como moeda oficial ajudaria mais de um milhão de famílias de baixa renda a evitar o pagamento de taxas a intermediários no envio de remessas.

“Esperamos que esta decisão seja apenas o começo para fornecer um espaço onde pessoas inovadoras possam reimaginar o futuro das finanças, potencialmente ajudando bilhões em todo o mundo”, disse Bukele no sábado. Com PIB de US$ 27 bilhões (2019) e 40% da população vivendo abaixo da linha da pobreza, El Salvador é um dos países mais pobres da América Central.

O presidente Bukele tem trabalhado com o CEO da carteira digital Strike, Jack Mallers, para ajudar o país a adotar legalmente o bitcoin. El Salvador tem usado o dólar norte-americano como moeda oficial desde 2001. Críticos à iniciativa alegam preocupações com a natureza volátil dos preços do bitcoin e a enorme quantidade de energia que a cripto demanda em sua mineração.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: