Quanto o pai de Britney Spears ganhou controlando a sua vida?

Tutela, que deu à Jamie Spears o direito de controlar a carreira da filha, existe há 13 anos .

Madeline Berg
Compartilhe esta publicação:
Valerie Macon/AFP/Getty Images, Nick Ut/AP
Valerie Macon/AFP/Getty Images, Nick Ut/AP

Britney compareceu ao tribunal ontem (23) para se defender contra a tutela de seu pai

Acessibilidade


Britney Spears deixou claro ontem (23), durante uma declaração de 24 minutos para a juíza Brenda Penny em um tribunal nos Estados Unidos, que cansou de ser boazinha com a tutela que dá o controle de sua vida a seu pai, Jamie Spears, desde 2008. Descrevendo uma série de acontecimentos que a fizeram sofrer – desde ser forçada a tomar lítio contra sua vontade, a não ter permissão para remover seu DIU – ela implorou ao tribunal para recuperar o controle de sua vida e pôr fim ao acordo que permitiu seu pai viver de sua carreira e de sua fortuna de US$ 60 milhões.

“Considerando que minha família viveu da minha tutela por 13 anos, não ficarei surpresa se um deles tiver algo a dizer (contra o fim da minha tutela)”, Britney Spears disse ontem. “Só não gosto de sentir que trabalho para as pessoas que eu pago.”

LEIA MAIS: Fortuna de US$ 60 milhões de Britney Spears é incrivelmente pequena comparada a outras estrelas pop

Durante mais de uma década de controle, Britney Spears pagou ao seu pai um salário mensal, forneceu um escritório, e deu a ele uma parte de sua fama. Ao todo, Jamie Spears recebeu pelo menos US$ 5 milhões (antes de impostos) desde fevereiro de 2008. Por causa da tutela, Britney também teve que pagar centenas de milhares – senão milhões – de dólares em taxas legais para advogados e seus tutores.

Desde pelo menos fevereiro de 2009 – um ano depois que seu pai Jamie foi nomeado tutor e encarregado de seu patrimônio – Britney teve que pagar a ele US$ 16 mil por mês, de acordo com documentos judiciais analisados ​​pela Forbes. Em 12 anos, essa compensação totalizou US$ 2,4 milhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além disso, um relatório desta semana do “The New York Times” apontou para o fato de que ele também levou parte das receitas de turnês da cantora – o que poderia explicar as acusações de Britney de que foi forçada a trabalhar e se apresentar mesmo não querendo ou doente. Os pagamentos para Jamie Spears incluíram 1,5% da venda bruta de ingressos e peças de marketing dos shows “Piece of Me”, realizados entre 2013 a 2017, em Las Vegas. As apresentações arrecadaram US$ 137,7 milhões, de acordo com o Caesars Entertainment, deixando para Jamie Spears nada menos que US$ 2,1 milhões. Ainda segundo o NYT, o pai da cantora também recebeu uma comissão de 2,95% de sua turnê “Femme Fatale”, de 2011.

Além dos milhões que Britney Spears pagou ao pai como parte de um “salário” ordenado pelo tribunal, ela também teve que pagar várias outras despesas. Foram US$ 300 mil em aluguel para um escritório. Como parte de uma peculiaridade dos acordos de tutela, os tutelados muitas vezes são obrigados a pagar tanto pelos seus próprios advogados, quanto pelos dos responsáveis por seus bens.

Nos últimos 13 anos em que Britney Spears esteve sob sua tutela, essas taxas aumentaram. Embora o total que ela gastou em custas judiciais não seja público, os registros judiciais de 2018 e 2019 detalham que, entre 1º de outubro de 2018 e 31 de outubro de 2019, o escritório de advocacia Freeman, Freeman and Smiley, que representava Jamie Spears na época, a cobrou cerca de US$ 170 mil. Outro documento detalhou os honorários de seu próprio advogado, Samual Ingham, de 6 de novembro de 2016 a 10 de outubro de 2018. O total chegou a US$ 331.940,50 para 698,7 horas de trabalho – ou US$ 475 por hora.

De acordo com um pedido de 2018 do advogado de Jamie Spears, “o espólio estava quase sem fundos e equivalentes de caixa” quando a tutela começou em fevereiro de 2008. O pedido afirma que entre 2014 e novembro de 2018, o valor do espólio aumentou em US$ 20 milhões, atribuindo o crescimento em parte à administração do dinheiro de Britney Spears pelos tutores.

“Os problemas foram de proporções épicas ao longo dos anos”, diz o documento. “Habilidades extraordinárias têm sido empregadas por todos para alcançar os resultados desfrutados na atualidade. (O tutor, Jamie Spears) passou muitos meses em um período em que todo o seu tempo profissional foi gasto em serviços prestados exclusivamente ao tutelado.”

Embora Britney não tenha mencionado a forma como seu pai investiu seu dinheiro ou o panorama geral de suas finanças em seu comparecimento ao tribunal ontem, ela revelou como suas finanças pessoais eram restritas, incluindo o fato de que ela não podia carregar seu próprio cartão de crédito.

“Não faz nenhum sentido que o estado da Califórnia fique me observando sustentar tantas pessoas e pagar tantas contas, como os caminhões e ônibus das turnês e tudo que envolve as viagens, e acredite que não sou boa o suficiente”, disse ela. “Faz muito tempo que não tenho meu dinheiro, e é meu desejo e meu sonho que tudo isso acabe.”

De acordo com a declaração de Britney Spears, seu pai queria mais do que apenas o dinheiro. “Eu chorei ao telefone por uma hora e ele adorou cada minuto”, disse a cantora ontem. “O controle que ele tinha sobre alguém tão poderoso quanto eu. … Ele amava o controle para machucar sua própria filha. 100.000%, ele adorou.”

Jamie Spears não respondeu publicamente, embora seu advogado tenha dito: “Ele lamenta ver sua filha sofrendo e com tanta dor. O Sr. Spears ama sua filha e sente muito a falta dela.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: