Warren Buffett doou metade de suas ações da Berkshire, mas ficou duas vezes mais rico

Nati Harnik/Associated Press
Nati Harnik/Associated Press

Buffett é um dos dez bilionários dos EUA com a maior pontuação no índice de filantropia da Forbes

Como é possível doar metade de suas ações e ficar duas vezes mais rico no processo? Foi isso que Warren Buffett fez. O investidor bilionário, que prometeu doar a maior parte de sua fortuna a causas filantrópicas, anunciou uma nova doação de US$ 4,1 bilhões na manhã de quarta-feira (23). Mas com seus US$ 100 bilhões atuais, Buffett vale mais do que o dobro do que valia em 2006, quando começou doar anualmente ações da Berkshire Hathaway para várias entidades, incluindo a Fundação Bill e Melinda Gates.

“Hoje é um marco para mim”, disse Buffett em um comunicado na quarta-feira. “Em 2006, prometi dar todas as minhas ações da Berkshire Hathaway -mais de 99% do meu patrimônio líquido- para a filantropia. Com a doação de US$ 4,1 bilhões de hoje, estou na metade do caminho.”

LEIA MAIS: Warren Buffett anuncia US$ 4,1 bilhões para filantropia e saída da Fundação Gates

E, de fato, ele está. Buffett possuía 474.998 ações classe A da Berkshire Hathaway em junho de 2006. Após o anúncio da manhã de quarta-feira, ele agora tem 238.624 papéis do tipo.

Com o anúncio desta semana, o “Oráculo de Omaha” já doou cerca de US$ 41 bilhões em ações da Berkshire Hathaway (com base nos preços de mercado no momento de cada contribuição). Mas, apesar das dezenas de bilhões em doações, ele está mais rico do que nunca. Buffett valia 42 bilhões de dólares no início de 2006, de acordo com os cálculos da Forbes.

A razão pela qual ele vale mais do que o dobro agora – mesmo depois de se desfazer de US$ 41 bilhões – é devido ao enorme aumento no valor das ações da Berkshire Hathaway. Desde junho de 2006, as ações da Berkshire A, negociadas a US$ 415.144 cada uma às 15:00h de Brasília na quarta-feira, mais do que quadruplicaram de valor.

Se Buffett tivesse ficado com todas as suas ações da Berkshire Hathaway, ele valeria quase US$ 198,3 bilhões hoje, o suficiente para torná-lo a segunda pessoa mais rica do planeta, atrás apenas de Jeff Bezos, que vale US$ 201,5 bilhões, calcula a Forbes.

Além da Fundação Gates, Buffett faz doações anuais às fundações que pertencem a seus três filhos, Susan, Peter e Howard, e à Fundação Susan Thompson Buffett, que leva o nome de sua primeira esposa, que morreu em 2004.

No anúncio à imprensa da doação desta semana, Buffett prometeu que o restante de suas ações da Berkshire Hathaway “será todo destinado à filantropia”.

No ano passado, Buffett foi um dos dez bilionários na lista dos 400 americanos mais ricos da Forbes com cinco pontos no índice de filantropia, o valor mais alto da escala, que indica que ele doou pelo menos um quinto de sua fortuna. Para calcular a pontuação, a Forbes determina qual o percentual do patrimônio líquido do indivíduo foi doado. Entram na conta as doações feitas por fundações para organizações sem fins lucrativos, assim como doações diretas para essas entidades.

Buffett não é o único bilionário cujo patrimônio líquido disparou apesar das doações generosas. Mackenzie Scott, ex-esposa do CEO da Amazon, Jeff Bezos, doou quase US$ 6 bilhões para organizações sem fins lucrativos em 2020, enquanto seu patrimônio líquido estimado saltou quase 50% em relação ao ano anterior, chegando a US$ 53 bilhões, por causa da grande alta no preço das ações da Amazon.

Como parte do anúncio de quarta-feira, Buffett também disse que deixaria o cargo de curador da Fundação Bill e Melinda Gates, a maior fundação de caridade privada do mundo. Ele tem 90 anos e disse ter sido um curador inativo. Buffett se juntou a Bill Gates e Melinda French Gates (que anunciaram recentemente que estão se divorciando) pela primeira vez em 2010, para criar o Giving Pledge -no qual as pessoas mais ricas do mundo prometem doar pelo menos metade de sua fortuna para a caridade.

O cofundador da Microsoft, Bill Gates, que tem um patrimônio líquido de US$ 126,8 bilhões de acordo com a Forbes, comentou no Twitter sobre a saída de seu amigo de longa data: “Estou realmente grato por sua sabedoria e liderança, e acima de tudo por sua amizade duradoura. Warren continuará a inspirar nossa fundação enquanto trabalhamos para combater a pobreza e ajudar milhões de pessoas a terem uma vida mais saudável.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).