5 Olimpíadas mais caras da história

Getty Images
Getty Images

A Olimpíada de Tóquio é a mais cara da história, com um gasto três vezes maior do que o orçamento inicial

A Olimpíada de Tóquio certamente entrará para a história por uma série de fatores. O mais óbvio deles é, claro, é a pandemia da Covid-19: nenhum outro evento esportivo da história precisou enfrentar tamanha crise sanitária e esta foi a primeira vez que uma edição teve que ser adiada para o ano seguinte. Em situações anteriores de emergência – 1914, 1940 e 1944 – os eventos foram simplesmente cancelados devido às duas guerras mundiais. 

Os atuais jogos olímpicos, que estão sendo realizados com as portas fechadas para o público para diminuir os riscos de contaminação, também marcam a estreia de seis novas modalidades – karatê, skate, escalada esportiva e surfe, além de badminton e taekwondo nas Paraolimpíadas – e, diferentemente de todas as outras edições, suas medalhas são feitas a partir de celulares e outros eletrônicos reciclados, como câmeras, notebooks e videogames. 

LEIA MAIS: Os atletas olímpicos mais bem pagos de 2021

Mas tem uma outra coisa que chama atenção nesta Olimpíada: ela é a mais cara da história. Segundo um estudo da plataforma CupomValido.com.br, com dados do Comitê de Olimpíadas Internacional e da empresa de pesquisa Statista, os US$ 28 bilhões investidos na edição 2020 (realizada em 2021) representam mais do que o dobro do que a média geral, de US$ 12 bilhões. 

Veja, na galeria de fotos a seguir, as 5 edições mais caras dos Jogos Olímpicos até hoje:

  • 5. Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018

    Custo: US$ 12,9 bilhões

    A edição realizada na Coreia do Sul ficou marcada por ser a Olimpíada mais fria dos últimos 20 anos, com temperaturas abaixo de zero mesmo durante o dia, e também pela união das duas Coreias (pelo menos na cerimônia de abertura, quando as delegações dos países historicamente rivais desfilaram lado a lado de uniforme branco). Também foi a segunda Olimpíada de Inverno mais cara de todas, um pouco acima do que a média geral histórica de US$ 12 bilhões.

    Getty Images
  • 4. Jogos Olímpicos do Rio 2016

    Custo: US$ 13,7 bilhões

    Apesar da calorosa recepção dos cariocas, a Olimpíada sediada no Brasil foi marcada por polêmicas financeiras e um legado de dívida milionária para a Cidade Maravilhosa, construções abandonadas, superfaturamento e escândalos de corrupção envolvendo autoridades do estado, entre eles o ex-governador Sérgio Cabral e o ex-prefeito Eduardo Paes.

    Getty Images
  • 3. Jogos Olímpicos de Londres 2012

    Custo: US$ 15 bilhões

    Com gastos muito maiores do que a estimativa inicial, a terceira Olimpíada na terra da Rainha – um recorde no histórico do evento – ficou marcada por ser a primeira a ter mulheres atletas em todas as delegações participantes.

    Getty Images
  • 2. Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi 2014

    Custo: US$ 21,9 bilhões

    Até agora, a Olimpíada de Sochi era considerada a mais cara da história. Assim como no Brasil, a mais recente edição russa do evento foi marcada por polêmicas envolvendo seus gastos exorbitantes e falhas de infraestrutura. Os estádios, por exemplo, eram 1,5 a 2,5 vezes maiores do que os convencionais. Há quem diga que existe um orçamento não oficial que indica que os gastos chegaram a US$ 50 bilhões.

    Getty Images
  • 1. Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

    Custo: US$ 28 bilhões

    Depois de mais de um ano de espera e incertezas, a Olimpíada do Japão começou na última sexta-feira (23) com um orçamento 30% maior que o evento de Sochi. É normal que as previsões sejam extrapoladas – isso aconteceu em todas as edições do evento desde 1960 – mas, no caso de Tóquio, este aumento foi três vezes maior do que o planejado.

    Um dos principais motivos é, obviamente, o adiamento para 2021: estima-se que o Japão tenha perdido mais de US$ 5,7 bilhões com a postergação do evento, em função de custos adicionais de manutenção, cancelamentos e reorganização. Além disso, a receita caiu significativamente, já que mais de 800 mil ingressos foram reembolsados ao público ainda no ano passado – e, neste ano, a decisão de suspender a entrada de espectadores durante as competições impediu que esta perda fosse (ainda que parcialmente) recuperada.

    Getty Images

5. Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018

Custo: US$ 12,9 bilhões

A edição realizada na Coreia do Sul ficou marcada por ser a Olimpíada mais fria dos últimos 20 anos, com temperaturas abaixo de zero mesmo durante o dia, e também pela união das duas Coreias (pelo menos na cerimônia de abertura, quando as delegações dos países historicamente rivais desfilaram lado a lado de uniforme branco). Também foi a segunda Olimpíada de Inverno mais cara de todas, um pouco acima do que a média geral histórica de US$ 12 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).