Acusada de sonegar US$ 16,4 bilhões em impostos, Shakira pode ser julgada na Espanha

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Shakira pode receber uma multa e até pena de prisão se for condenada

A superestrela da música latina Shakira pode ser levada a um tribunal por suspeitas de não pagar seus impostos na Espanha. O juiz responsável pelo caso decidiu que há evidências suficientes para levar o caso a julgamento.

Uma investigação sobre as finanças da cantora que consumiu três anos encontrou “provas suficientes de criminalidade” para que o caso seguisse adiante, disse o juiz Marco Juberías, de Barcelona.

LEIA MAIS: Shakira enfrentará tribunal espanhol

Shakira é acusada de não pagar cerca de US$ 16,4 milhões em impostos entre 2012 e 2014, período em que, segundo a justiça, ela passou a maior parte do tempo na Espanha, embora sua residência oficial fosse listada como Bahamas.

O magistrado também alegou que a cantora e um consultor financeiro usaram várias empresas com base em paraísos fiscais para esconder os fluxos de receita.

Shakira pode receber uma multa e até pena de prisão se for condenada. A Forbes tentou contato com o empresário da cantora, mas não recebeu retorno.

A cantora, casada com o astro do futebol Gerard Piqué, foi inicialmente acusada de evasão fiscal pelas autoridades espanholas em 2018, quando alegou inocência e pagou o que devia. Ela passa grande parte de seu tempo na Espanha com o marido, jogador do F.C. Barcelona, e os dois filhos. De acordo com a lei espanhola, qualquer pessoa que more no país por mais de seis meses deve pagar impostos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyrigh[email protected]).