Bitcoin cai abaixo de US$ 30 mil pela 1ª vez em um mês

A criptomoeda chegou a cair 5%, para US$ 29.300, a menor taxa desde 22 de junho.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

O bitcoin chegou a cair 5%, para US$ 29.300, a menor taxa desde 22 de junho

Acessibilidade


O bitcoin recuava hoje (20) para seu nível mais baixo em quase um mês, negociado abaixo de US$ 30.000, enquanto reguladores continuam pedindo supervisões mais rígidas sobre as criptomoedas. Criptomoedas menores, como ether e XRP, que tendem a se mover em conjunto com o bitcoin, também registraram quedas.

O bitcoin chegou a cair 5%, para US$ 29.300, a menor taxa desde 22 de junho. Por volta de 09:40,horário de Brasília, recuava 3,66%, a US$ 29.700,52. Investidores disseram que a maior criptomoeda do mundo provavelmente testará o nível de US$ 28.600 atingido no mês passado, o menor patamar desde o início de janeiro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A queda da criptomoeda nesta terça-feira ampliava suas perdas no mês para cerca de 15%. A moeda também já perdeu mais de metade de seu valor desde o pico de quase US$ 65 mil em abril.

Nas últimas semanas, o bitcoin ficou preso em uma faixa de negociação relativamente estreita, depois que os investidores venderam pesadamente em maio e junho, após uma repressão da China à mineração e negociação de criptomoedas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Órgãos de supervisão financeira e bancos centrais no Ocidente também têm defendido uma regulamentação mais rígida.

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse ontem (19) que o governo norte-americano deve agir rapidamente para estabelecer uma estrutura regulatória para as stablecoins, classe de moedas digitais em rápido crescimento. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: