Forbes Radar: BRF, Microsoft, Mater Dei, Ambipar e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (7), o Grupo Mater Dei informou que pretende comprar 70% de Grupo Porto Dias por cerca de R$ 800 milhões e a Ambipar anunciou sua quinta aquisição em dez dias, a companhia comprou a norte-americana Swat Consulting, empresa especializada em gestão ambiental.

Já a BRF anunciou o investimento de US$ 2,5 milhões na startup israelense Aleph Farms para produzir carne cultivada nos próximos três nos.

Por fim, nesta quarta-feira também ocorrerá o leilão de 57,9% da InfraCo, último dos grandes ativos da Oi, por R$ 12,9 bilhões.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

BRF (BRFS3)

A BRF anunciou ontem (6) o investimento de US$ 2,5 milhões na startup israelense Aleph Farms, e quer produzir carne cultivada a partir de células bovinas não geneticamente modificadas em 2024, disse à Reuters um executivo da empresa.

“A Visão 2030 da companhia está alinhada em seguir construindo alimentação saudável e sustentável. E dentro deste pilar de novas proteínas, assim como a carne vegetal, a tecnologia de carne cultivada é um dos caminhos”, afirmou o vice-presidente de Novos Negócios da BRF, Marcel Sacco.

Diferentemente de outras parcerias e aquisições da BRF, dessa vez a companhia realizou uma transação de venture capital, que garantirá o uso da tecnologia da Aleph Farms.

Sacco ressaltou que a parceria com a Aleph Farms, um dos principais players mundiais em carne cultivada, foi firmada em março deste ano e é um passo importante no desenvolvimento de proteínas alternativas da BRF.

Para o Brasil, ele acredita que há potencial de consumo, mas também será feito um trabalho para impulsionar o engajamento da demanda.

Ao mesmo tempo, sem novas habilitações de unidades frigoríficas pelos chineses desde o início da pandemia, o Brasil perde oportunidades e ainda enfrenta forte concorrência dos Estados Unidos, avaliou ontem (06) um executivo da BRF, maior exportadora global de frango.

“Tomara que consigamos avançar neste tema… A resposta mais prática para a pergunta é que perdemos oportunidades”, disse o gerente-executivo de Relações Institucionais da BRF, Luiz Tavares, ao comentar questão sobre a ausência de habilitações de novas unidades brasileiras.

Ele ressaltou que o Brasil tem avançado com exportações, mas ao mesmo tempo passou a enfrentar a forte concorrência dos Estados Unidos, especialmente na carne de frango.

“Mas é importante contextualizar os Estados Unidos como grande potência do agronegócio. Estava desde 2015 suspenso para exportar aves à China devido à gripe aviária, e de uma hora para outra literalmente passamos a ter os EUA acessando o mercado chinês com mais de mil estabelecimentos habilitados, enquanto o Brasil está sem nenhum habilitação há praticamente dois anos”, comentou.

Os comentários foram feitos durante evento online do Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais) sobre perspectivas da estratégia Brasil-China no Agronegócio, reunião que também contou com outras autoridades.

Questionada sobre possível retomada da certificação e quantos frigoríficos poderiam ser certificados no curto prazo, a ministra conselheira de Assuntos Econômicos e Comerciais da Embaixada da China no Brasil, Shao Yingjun, disse que o Brasil é uma dos países com mais empresas habilitadas e citou o número de 102 unidades autorizadas a exportar à China.

Oi (OIBR4)

Ocorrerá hoje (7) o leilão da InfraCo da Oi, último dos grandes ativos colocados à venda pela companhia. O BTG solicitou que a companhia vendesse 57,9%, não apenas 51% da Infra; dessa forma, a operação está avaliada em R$ 12,9 bilhões.

EDP Brasil (ENBR3)

A portuguesa EDP disse ontem (6) que a sua sede havia sido revistada no âmbito de uma investigação sobre alegação de fraude fiscal relacionada com a venda de seis barragens à empresa francesa Engie.

Em dezembro de 2019, a EDP concordou em vender seis centrais hidrelétricas na bacia do Douro a um consórcio internacional liderado pela Engie por Є 2,2 bilhões. O processo de venda foi concluído um ano mais tarde.

Nos últimos meses, os deputados portugueses da oposição acusaram a EDP de criar um esquema financeiro para evitar o pagamento de mais de Є 100 milhões em impostos.

Um porta-voz da EDP afirmou que a sede do grupo em Lisboa tinha sido alvo de buscas, mas que a empresa acreditava não ter feito nada de errado.

“A EDP está cooperando plenamente com as autoridades e continua convencida de que a operação de venda cumpre todos os requisitos legais”, disse o porta-voz.

Weibo (W1BO34)

O presidente do conselho de administração da Weibo, Charles Chao, e um investidor estatal estão em negociações para fechar o capital da companhia, em um negócio que avaliará a empresa em pelo menos US$ 20 bilhões, disseram duas fontes.

A operação envolvendo a empresa, que fornece serviço de microblogs semelhantes à plataforma do Twitter, facilitaria a saída do Alibaba, relevante acionista da companhia, afirmaram.

Chao, cuja holding New Wave é o maior acionista do Weibo, está se unindo a uma estatal sediada em Xangai para formar um consórcio para o negócio, disseram fontes com conhecimento direto do assunto.

A identidade da empresa estatal não pôde ser determinada imediatamente.

A New Wave detinha uma participação de 45% no Weibo em fevereiro, avaliada em US$ 5,6 bilhões, seguida pelo Alibaba, com 30%, no valor US$ 3,7 bilhões, de acordo com o relatório anual de 2020 da empresa.

O consórcio pretende oferecer cerca de US$ 90 a US$ 100 por ação para tornar a Weibo privada, duas das fontes disseram à Reuters, o que representa um prêmio de 80% a 100% sobre o preço médio de US$ 50 da ação no mês passado.

GM (GMCO34)

A General Motors propôs a suspensão de contratos de trabalho de 250 trabalhadores de sua fábrica em São José dos Campos (SP), citando falta de peças que atinge o setor automotivo, informou o sindicato de metalúrgicos da região, nesta terça-feira.

“Em assembleia realizada nesta terça-feira, os trabalhadores decidiram que só aceitarão a suspensão de contratos se a medida vier, obrigatoriamente, acompanhada de estabilidade no emprego para todos, enquanto vigorar o acordo”, afirmou o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos em comunicado à imprensa.

A proposta prevê que os contratos ficariam suspensos entre 12 de julho e 25 de agosto.

A suspensão dos contratos se daria com base Medida Provisória 1.045, que criou o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, afirmou o sindicato. A interrupção por este mecanismo é permitida por até 120 dias. A proposta final será votada pelos metalúrgicos, em assembleia, amanhã (8), informou a entidade, acrescentando que uma nova reunião entre GM e sindicato está marcada para hoje (7).

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Microsoft (MSFT34)

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos cancelou nesta ontem (6) seu projeto de computação em nuvem conhecido como Jedi, avaliado em US$ 10 bilhões, descartando o acordo do governo Trump com a Microsoft e anunciando um nova concorrência que coloca a gigante de software contra a rival Amazon.com.

Inicialmente, o Pentágono disse que Amazon e Microsoft são as únicas empresas que conseguem atender as exigências do departamento, mas mais tarde observou em uma coletiva de imprensa que fará contato com outros provedores de computação em nuvem nos próximos três meses se estes também atenderem os padrões do governo.

Entre estes estão a Oracle, o Google, da Alphabet e a IBM.

Mater Dei (MATD3)

O Hospital Mater Dei informou ontem (6) que seu conselho de administração aprovou compra do grupo hospitalar Porto Dias, que atua na região Norte do país, em uma transação que envolve R$ 800 milhões, além da emissão de ações.

O acordo foi acertado sobre uma participação de 70% do Grupo Porto Dias e o Mater Dei vai emitir 27,27 milhões de papéis como parte do pagamento, cerca de 7,1% do capital social total da companhia. As ações do Mater Dei terminaram nesta terça-feira cotadas em R$ 16,60.

O Hospital Mater Dei terá opção de comprar os 30% restantes do Grupo Porto Dias detidos pela família fundadora com um desconto de 20% sobre o múltiplo que o Mater Dei estiver avaliado em bolsa à época, afirmou a companhia em fato relevante.

Segundo a empresa, o Grupo Porto Dias possui dois hospitais em Belém (PA) e duas unidades de diagnóstico. Ao todo, são 592 leitos operacionais previstos para 2022, sendo 388 já operacionais e 64 em construção no Hospital Porto Dias, além de 140 leitos no Porto Quality, cuja infraestrutura já está pronta, afirmou o Mater Dei.

“Esta aquisição é o primeiro passo do Mater Dei na execução de sua estratégia de crescimento inorgânico com a criação de um hub regional no Norte do país, consolidando ativos referência de qualidade nas regiões de atuação”, afirmou a companhia no fato relevante.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras vai promover um aumento de 7% nos preços de venda de gás natural para as distribuidoras a partir de 1º de agosto, informou a companhia ontem (6), citando a valorização do petróleo no segundo trimestre deste ano.

Os reajustes da companhia são realizados trimestralmente, com variações que decorrem da aplicação de fórmulas negociadas nos contratos de fornecimento. Elas levam em conta o preço do petróleo no mercado internacional e a taxa de câmbio.

“Durante esse período (abril, maio e junho), o petróleo teve alta de 13%, seguindo a tendência de alta das commodities globais; e o real teve valorização de cerca de 4% em relação ao dólar”, disse a empresa em comunicado.

“Em consequência, o ajuste (do preço do gás natural) será de 7% em reais por metro cúbico”, acrescentou.

A petroleira já havia elevado o valor do gás natural comercializado às distribuidoras em 39% em 1º de maio, considerando os preços de petróleo e dólar no trimestre entre janeiro e março.

A Petrobras ressaltou em nota que o preço final aos consumidores não é determinado apenas pelo valor de venda praticado pela empresa, mas também pelas margens das distribuidoras, postos (no caso do gás natural veicular) e por tributos federais e estaduais.

Minerva Foods (BEEF3)

De acordo com o Valor Investe, a Minerva Foods fechou a captação de US$ 400 milhões via bonds com vencimento em 2031 e yield de 4,75%. O montante será destinado para o refinanciamento de dívidas mais onerosas.

A demanda somou US$ 1 bilhão, levantando a operação de US$ 250 milhões para US$ 400 milhões.

Ambipar (AMBP3)

A Ambipar anunciou sua quinta aquisição em dez dias, a companhia comprou a norte-americana Swat Consulting, empresa especializada gestão ambiental, através de sua controlada indireta, Ambipar Holding.

A Swat possui 2 bases operacionais nos estados de Michigan e Dakota do Norte e seu foco de atuação é nos modais marítimo, rodoviário, industrial, remediação de solo e treinamentos. A companhia faturou em 2020 US$7,5 milhões.

Even (EVEN3)

A Even informou que a agência de classificação de risco Standard and Poor’s Global Ratings elevou o rating da Companhia na Escala Nacional Brasil de brAA para brAA+, com perspectiva positiva.

Bradesco (BBDC4)

O Bradesco assinou o compromisso de descarbonizar suas carteiras de crédito e investimentos até 2050, ou antes, de acordo com cenários científicos e metas do Acordo de Paris sobre o clima. A instituição financeira também anunciou que aderiu ao Net-Zero Banking Alliance da UNEP FI (braço financeiro do Programadas Nações Unidas para o Meio Ambiente) e a se comprometer com suas metodologias e requisitos de gestão e transparência relacionados ao tema.

De acordo com o banco, “a iniciativa reforça a gestão climática e a ambição do Bradesco de financiar a transição para uma economia mais limpa, eficiente e resiliente. O compromisso faz parte da Estratégia de Sustentabilidade da Organização, de seu posicionamento frente à crise climática e também contribui com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) priorizados pelo Bradesco, em especial o ODS 13 – sobre ação climática.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).