Forbes Radar: Cruzeiro do Sul, MRV, Lojas Renner, Intel e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (16), os pequenos investidores tem até o final do pregão desta sexta-feira para reservar ações da Desktop; a empresa definiu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 23 e R$ 28. Ao mesmo tempo, começa às 9h, horário de Brasília, o período para reservar papéis da Brisanet que estão com intervalo indicativo de preço entre R$13,92 e R$ 17,26.

A CSN Mineração também informou que realizará a primeira emissão de debêntures e levantará R$ 1 bilhão, enquanto a Sinqia fará a a segunda emissão de debêntures e levantará R$ 250 milhões.

O conselho de administração da Duratex também aprovou a mudança de nome da companhia para Dexco, seu ticker passará a ser DXCO3 a partir de 19 de agosto.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Cielo (CIEL3)

As vendas no varejo brasileiro cresceram 9,5% no mês passado frente ao mesmo período de 2020, em dados que descontam a inflação, mostrou ontem (15) o ICVA (Índice Cielo do Varejo Ampliado), que monitora mensalmente 1,4 milhão de varejistas credenciados à empresa de meios de pagamentos.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, houve aumento de 23,3% na mesma base de comparação. Efeitos de calendário beneficiaram o resultado de junho deste ano.

De acordo com Pedro Lippi, chefe de Inteligência da Cielo, ocorreu uma desaceleração frente aos meses anteriores, associada a efeitos de base de comparação. Em junho do ano passado, o varejo experimentava recuperação ante o maior impacto da pandemia, observado em abril.

Magazine Luiza (MGLU3)

O Magazine Luiza anunciou ontem (15) acordo para a aquisição da plataforma de e-commerce de tecnologia e games KaBuM!, em operação que prevê o pagamento de parcela à vista de R$ 1 bilhão no fechamento do negócio.

Além do pagamento em recursos financeiros, o acordo prevê a incorporação das ações da KabuM! pelo Magazine Luiza, com a plataforma se tornando uma subsidiária integral da varejista.

De acordo com o fato relevante da companhia enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), serão emitidos em favor dos acionistas do KaBuM! 75 milhões de ações do Magazine Luiza e bônus de subscrição para subscrever até 50 milhões de ações

Fundado em 2003, o KaBuM! tem 2 milhões de clientes ativos. No ano passado, as vendas cresceram 128% em relação a 2019 e nos primeiros cinco meses de 2021 apresentam alta de 62% ante o mesmo período de 2020.

Nos últimos 12 meses, superou a marca de R$ 3,4 bilhões em receita bruta, com lucro líquido de R$ 312 milhões.

Morgan Stanley (MSBR34)

O Morgan Stanley divulgou ontem (15) um salto no lucro trimestral, superando confortavelmente as expectativas de Wall Street, com a área de banco de investimento beneficiando-se de níveis recordes de atividade nos mercados de capital e fusões e aquisições.

O banco de Wall Street disse que seu lucro líquido aplicável aos acionistas ordinários subiu para US$ 3,4 bilhões, ou US$ 1,85 por ação, no trimestre encerrado em 30 de junho, de US$ 3,05 bilhões, ou US$ 1,96 por ação, um ano antes.

Os analistas, em média, esperavam que o banco registrasse um lucro de US$ 1,65 por ação, segundo dados IBES/Refinitiv. A receita líquida aumentou para US$ 14,8 bilhões no trimestre, em comparação com US$ 13,7 bilhões um ano antes.

O resultado refletiu um aumento na atividade de fusões e aquisições no primeiro semestre do ano. Os ganhos com as taxas de consultoria, no entanto, foram menores que os registrados por seus pares, pois o número de negócios que o banco assessorou foi menor no trimestre.

MRV (MRVE3)

A MRV teve crescimento no volume de lançamentos e vendas no segundo trimestre, refletindo o ambiente de expansão forte da construção civil no país, mas viu uma queda na geração de caixa no período, diante da pressão de custos com matérias-primas e mudanças no repasse de recursos da Caixa Econômica.

A companhia anunciou ontem (15) que seu lançamentos de abril a junho somaram R$ 2,40 bilhões em VGV (Valor Geral de Vendas), alta 5,4% sobre um ano antes.

Já as vendas totalizaram R$ 2,065 bilhões, aumento de 13,7% no comparativo anual. Segundo a MRV, seu processo de vendas garantidas, no qual as vendas só são registradas quando o comprador apresenta o financiamento bancário, fez com que parte das vendas não fosse lançada dentro do trimestre.

No período, as vendas garantidas da MRV, que na prática eliminam a chance de distrato, representaram 77% do total. Quase 2,5 mil imóveis vendidos no período não entraram na conta devido à falta da garantia de financiamento.

A MRV decidiu dar sequência à estocagem de parte da matéria- prima para suas obras, para evitar interrupções no fornecimento, o que resultou em consumo de caixa, que foi de R$ 700 mil, após geração positiva de R$ 68,3 milhões um ano antes.

Eztec (EZTC3)

A construtora Eztec anunciou ontem (15) que teve vendas líquidas de R$ 284,7 milhões no segundo trimestre, alta de 20,7% sobre o desempenho dos três primeiros meses do ano e mais que o dobro em relação ao vendido no mesmo período do ano passado.

Em desempenho semelhante ao de outras construtoras que já divulgaram suas prévias operacionais de abril a junho, como Cyrela e MRV, a Eztec apurou também um salto nos lançamentos.

A empresa lançou o equivalente a R$ 928 milhões no segundo trimestre, ante R$ 28 milhões nos três primeiros meses do ano e praticamente zero no mesmo período do ano passado. O total lançado de abril a junho deste ano corresponde a dois empreendimentos de alto padrão.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Petrobras (PETR4)

A Rnest (Refinaria Abreu e Lima), da Petrobras, em Pernambuco, iniciou sua primeira parada programada para manutenção desde que a unidade começou a operar em 2014, com previsão de duração de 45 dias, informou a petroleira estatal em nota à imprensa ontem (15).

Abreu e Lima tem capacidade instalada para processar 130 mil barris por dia, o que corresponde a 5% da capacidade total de refino de petróleo do país, segundo dados da empresa.

Quase 70% da produção da Rnest atualmente é de diesel com baixo teor de enxofre. A unidade produz ainda nafta, óleo combustível, coque verde, GLP (gás de cozinha) e gasolina.

Segundo a Petrobras, um planejamento realizado por ela garante o cumprimento dos compromissos comerciais de todos os derivados.

A demanda doméstica por óleo diesel, conforme a empresa, será atendida com estoques planejados e disponíveis na refinaria e eventuais necessidades poderão ser supridas por meio de recebimento de cabotagens ou até mesmo importações.

Monte Rodovias

A operadora de concessões Monte Rodovias pediu registro para uma oferta inicial de ações, segundo registro na Comissão de Valores Mobiliários ontem (15).

Fundada em 2020, a companhia é parte do grupo Monte Equity, que também tem ativos de energia e imobiliários, e tem três concessões (rodovias Bahia Norte, Rota do Atlântico e Rota dos Coqueiros) nos Estados da Bahia e Pernambuco.

A oferta envolve apenas a venda de ações novas, cujos recursos a empresa pretende usar para pagar dívidas, reforçar o caixa, investir em expansão orgânica e para aquisições.

A operação será coordenada por Goldman Sachs, BTG Pactual, XP e UBS BB.

Lojas Renner (LREN3)

A Lojas Renner fechou acordo para comprar a plataforma online de revenda de roupas, calçados e acessórios Repassa, de acordo com fato relevante da companhia ontem (15), sem detalhar os valores envolvidos na operação.

Cruzeiro do Sul (CSED3)

A Cruzeiro do Sul anunciou ontem (15) a compra do grupo aniversitário Moura Lacerda por R$ 54 milhões, valor que será pago em cinco anos.

Criado há quase um século, a Moura Lacerda tem sede em Ribeirão Preto (SP) e uma carteira de três mil alunos da educação básica à pós-graduação, com cursos superiores nas áreas de Engenharia, Medicina Veterinária, Arquitetura e Direito, informou a Cruzeiro do Sul em fato relevante.

Duratex (DTEX3)

A Duratex anunciou que seu conselho de administração aprovou mudança de nome da companhia para Dexco, em estratégia para apoiar a expansão do grupo do setor de construção civil para novos negócios.

A companhia, que foi criada há 70 anos sob a marca Duratex, afirmou que seu nome no pregão da B3 passará a ser Dexco, com ticker DXCO3, a partir de 19 de agosto.

O grupo também anunciou que projeta investimento de R$ 2,5 bilhões para os próximos três anos, com os recursos divididos entre todas as suas principais áreas de operação.

Segundo o grupo, do total projetado, R$ 500 milhões serão aportados na divisão de paineis de madeira, dos quais cerca de R$ 240 milhões serão usados em expansão da base florestal na região Nordeste.

A empresa também prevê investir R$ 1,1 bilhão na divisão Deca, de louças e metais para banheiros e cozinhas, dos quais R$ 600 milhões serão aplicados em expansão de 35% na capacidade de produção de metais. Outros R$ 550 milhões serão aplicados em aumento de 30% na capacidade de louças sanitárias por meio de “expansão e automação da produção”.

A Duratex também anunciou que projeta R$ 600 milhões em investimentos para construção de uma nova fábrica da divisão de revestimentos cerâmicos, A unidade será instalada em Botucatu (SP) e vai adicionar 35% de capacidade produtiva para a divisão.

A empresa vai investir também R$ 102,3 milhões na “construtech” ABC da Construção, em uma operação primária em que ficará com uma participação minoritária não revelada.

Intel (ITLC34)

A Intel negocia comprar a fabricante de semicondutores GlobalFoundries por cerca de US$ 30 bilhões, publicou o Wall Street Journal nesta quinta-feira, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

O negócio, no entanto, não é garantido, já que a produtora de semicondutores com sede em Santa Clara está planejando uma oferta inicial de ações no final do ano.

De acordo com o Journal, nenhuma negociação parece incluir a GlobalFoundries diretamente, já que um porta-voz da empresa disse à publicação que não estava em negociações com a Intel.

A Intel, uma das últimas empresas da indústria de semicondutores que projeta e fabrica seus próprios chips, disse no início deste ano que expandiria sua capacidade de fabricação de chips avançados, gastando até US$ 20 bilhões para construir fábricas nos Estados Unidos e no exterior, como compete com a Semiconductor Manufacturing e a coreana Samsung.

Os líderes governamentais nos EUA e na Europa também levantaram preocupações sobre o domínio da fabricação de chips em Taiwan, devido às tensões com a China.

A GlobalFoundries, do fundo soberano de Abu Dhabi Mubadala, tem uma presença de manufatura nos EUA, Europa e Ásia.

Seus clientes incluem a AMD, sua controladora antes de a designer de semicondutores desmembrar a GlobalFoundries há mais de uma década.

Intel, Mubadala Investment e GlobalFoundries não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters.

Desktop (DESK3)

Termina hoje o período de reserva de ações para pequenos investidores da Desktop. A empresa definiu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 23,00 e R$ 28,00. O IPO pode levantar R$ 776,1 milhões, considerando a oferta-base de 30,4 milhões de ações.

O preço dos papéis será fixado na próxima segunda-feira (19) e a estreia na bolsa está prevista para a próxima quarta-feira (21).

Brisanet (BRIT3)

Ao mesmo tempo, começa hoje o período de reserva de ações da Brisanet. A empresa definiu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 13,92 e R$ 17,26. O IPO pode levantar R$ 1,4 bilhão, considerando a oferta base de 89,8 milhões de ações.

O preço dos ativos será fixado em 27 de julho e a estreia na B3 está marcada para 29 de julho.

Kepler Weber (KEPL3)

A Kepler Weber foi certificada pela Great Place to Work, consultoria global, pelas boas práticas adotadas no ambiente de trabalho da companhia.

Banco ABC Brasil (ABCB4)

O Banco ABC Brasil informou o início das operações da ABC Brasil Corretora de Seguros, seu braço cativo de corretagem de seguros, após a obtenção das aprovações regulatórias necessárias.

A ABC Brasil Corretora iniciará suas operações ofertando produtos-chave para os Diretores Financeiros das empresas: linha de seguros diretamente ligada à análise de crédito corporativo e seguro de vida.

RNI Negócios Imobiliários (RDNI3)

A construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, conquistou o melhor resultado semestral dos últimos cinco anos. A empresa alcançou a marca dos R$ 401 milhões em lançamentos apenas no primeiro semestre, com cinco novos empreendimentos, alta de 87% contra os seis primeiros meses de 2020.

Apenas no segundo trimestre, a companhia disponibilizou R$ 180 milhões em lançamentos ao mercado, resultado em uma alta de 20% contra o mesmo período em 2020.

O landbank do trimestre de 2021 foi de R$ 6,3 bilhões, sendo 82% dos terrenos direcionados ao segmento PCVA (horizontal e vertical). Com resultado histórico, as vendas líquidas da RNI somaram R$ 332 milhões no primeiro semestre de 2021, resultado 36% superior ao 1º semestre de 2021.

Nos últimos três meses, a companhia lançou dois novos empreendimentos que totalizam R$ 180 milhões em VGV (resultado 20% acima do 1º trimestre de 2021).

CSN Mineração (CMIN3)

A CSN Mineração realizará sua 1º emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em até duas séries, no valor de R$ 1 bilhão, aos quais serão objeto de uma oferta pública de distribuição com esforços restritos

“Os recursos obtidos pela companhia com as debêntures, serão integral, única e exclusivamente destinados ao reembolso de despesas incorridas em um período igual ou inferior a 24 meses da data de encerramento da oferta restrita, bem como a realização de investimentos futuros relacionadas ao “Projeto Expansão TECAR – Terminal Portuário de Granéis Sólidos – Porto de Itaguaí”, informou a companhia via fato relevante.

Tenda (TEND3)

A Tenda divulgou a prévia operacional do segundo trimestre de 2021. A companhia realizou o lançamento de 20 empreendimentos, no valor recorde de R$ 986 milhões, alta de 56% se comparado com o mesmo período de 2020 e 62% acima do primeiro trimestre de 2021.

As vendas líquidas contabilizaram R$ 858 milhões, crescimento de 49% contra o mesmo período do ano passado e alta de 22% versus os últimos três meses.

Sinqia (SQIA3)

A Sinqia aprovou a realização da segunda emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em série única, para distribuição pública com esforços restritos. Serão emitidas até 250 mil debêntures, com valor unitário de R$ 1 mil cada, totalizando até R$ 250 milhões.

“Sua utilização será na ampliação da participação da companhia no mercado de softwares e serviços para o setor financeiro, por meio de potenciais aquisições de participação em empresas consideradas estratégicas”, informou a empresa no documento divulgado ao mercado.

São Carlos Empreendimentos (SCAR3)

A São Carlos Empreendimentos adquiriu ontem (15) o centro de conveniência Plaza Mirante Sul por R$ 6,5 milhões, valor que será pago em 24 parcelas mensais, corrigidas pelo IPCA. O negócio foi realizado pela Best Center Empreendimentos e Participações, subsidiária da Companhia.

O Imóvel tem 2.515 m² de área bruta locável e está localizado em Ribeirão Preto (SP).

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).