Forbes Radar: Wells Fargo, Clear Sale, Petrobras e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (15), a Aeris informou que quer captar R$ 500 milhões em debêntures para pagar dívida e reforçar caixa e a Aura Minerals aprovou a 1º emissão de debêntures de sua controlada indireta, Aura Almas Mineração, no montante total de R$ 400 milhões.

Já no universo dos balanços financeiros, o Citigroup apresentou lucro líquido de US$ 6,19 bilhões, ou US$ 2,85 por ação, ante US$ 1,06 bilhão, ou US$ 0,38 por ação, o Bank of America registrou lucro líquido do banco aumentou para US$ 8,96 bilhões, ou US$ 1,03 por ação, de US$ 3,28 bilhões, ou US$ 0,37 por ação, e a Delta Air Lines teve lucro líquido atingiu US$ 652 milhões.

Por fim, começa hoje (15) o período de reserva de ações da Clear Sale para pequenos investidores.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Citigroup (CTGP34)

O Citigroup superou confortavelmente as estimativas do mercado para o lucro do segundo trimestre, visto que a recuperação econômica permitiu ao banco liberar provisões para perdas com empréstimos e compensar a queda na receita de trading e empréstimos de cartão de crédito.

Para o trimestre encerrado em 30 de junho, o lucro líquido saltou para US$ 6,19 bilhões, ou US$ 2,85 por ação, ante US$ 1,06 bilhão, ou US$ 0,38 por ação, um ano antes, de acordo com dados divulgados ontem (14). Analistas, em média, esperavam um lucro de US$ 1,96 por ação, de acordo com dados da Refinitiv.

O resultado do Citi foi impulsionado por decisão do banco de retirar US$ 2,4 bilhões das reservas para inadimplência que havia provisionado durante a pandemia mas que não se materializaram. Um ano atrás, o banco havia adicionado US$ 5,9 bilhões às suas reservas para perdas.

A receita do banco caiu 12%, os empréstimos recuaram 3% e as despesas aumentaram 7%. A receita de operações de renda fixa caiu 43% em relação ao ano anterior, quando as negociações nos mercados financeiros globais dispararam para níveis recordes de volatilidade nos primeiros meses da pandemia de Covid-19.

Bank of America (BOAC34)

O lucro do Bank of America quase triplicou no segundo trimestre, quando o banco liberou reservas para perdas com empréstimos que havia provisionado no ano passado, segundo dados divulgados ontem (14). A divisão de crédito, porém, foi afetada pelos juros baixos para animar a economia norte-americana.

O lucro líquido do banco aumentou para US$ 8,96 bilhões, ou US$ 1,03 por ação, de US$ 3,28 bilhões, ou US$ 0,37 por ação, um ano antes. Analistas, em média, esperavam um lucro de US$ 0,77 por ação, de acordo com estimativa da Refinitiv.

O segundo maior banco dos EUA em ativos tirou US$ 2,2 bilhões das provisões no trimestre, refletindo uma perspectiva econômica otimista, uma vez que as vacinações generalizadas levaram a um abrandamento das restrições relacionadas à pandemia e definiram o cenário para uma recuperação econômica.

No entanto, as taxas de juros mais baixas para combater as consequências econômicas da pandemia continuaram a corroer a margem financeira (NII), que despencou 6% no trimestre, para US$ 10,2 bilhões.

A média de empréstimos e leasing em todos os segmentos caiu 11% em relação ao ano passado, mas aumentou US$ 1,8 bilhão em relação ao trimestre anterior, sinalizando uma recuperação incipiente.

Wells Fargo (WFCO34)

O Wells Fargo reverteu prejuízo e registrou lucro no segundo trimestre, segundo dados divulgados ontem (14), em resultado influenciado pela liberação de recursos reservados anteriormente para cobrir perdas com empréstimos.

O quarto maior banco dos EUA relatou um lucro de US$ 6 bilhões, ou US$ 1,38 por ação, em comparação com um prejuízo líquido de US$ 3,85 bilhões, ou US$ 1,01 por ação, um ano antes.

Analistas, em média, esperavam um lucro de US$ 0,95 por ação, de acordo com estimativas da Refinitiv. Enquanto isso, a receita total aumentou 11%, a US$ 20,27 bilhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Delta Air Lines (DEAI34)

A Delta Air Lines divulgou hoje (14) o primeiro lucro trimestral desde o início da pandemia de coronavírus e afirmou que espera continuar no azul pelo restante do ano fiscal, apoiada na recuperação do setor aéreo norte-americano.

O lucro líquido atingiu US$ 652 milhões, ou US$ 1,02 por ação, nos trimestre encerrado em 30 de junho, ajudado pela ajuda do governo para pagamento de salários do setor aéreo e também pelo forte aumento da receita trimestral, que superou as expectativas de analistas.

A receita operacional ajustada da Delta no trimestre caiu 49% ante mesmo período de 2019, para US$ 6,35 bilhões, uma melhora ante o recuo de 60,4% registrado no primeiro trimestre. Analistas previam receita de US$ 6,22 bilhões.

A Delta afirmou que espera que a receita operacional do trimestre que começa em setembro caia 30% a 35% em relação ao mesmo período de 2019, com o ponto médio sendo em US$ 8,47 bilhões, acima da expectativa de analistas, de US$ 8,23 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

Excluindo eventos como o apoio governamental para a folha de pagamentos, a Delta teve prejuízo de US$ 1,07 por ação.

Armac (ARML3)

O IPO (oferta inicial de ações) da locadora brasileira de equipamentos para agronegócio, mineração e infraestrutura Armac pode movimentar mais de R$ 1 bilhão, segundo informações do cronograma da operação mostrados ontem (14).

O cálculo feito pela Reuters tem como base R$ 14,97, o ponto médio da faixa de preço estimada pelos coordenadores da oferta, que vai de R$ 13,30 a R$ 16,63 por ação, e a venda integral dos cerca de 68,5 milhões de papéis.

Desse total, 53.440.214 ações correspondem a ações novas, cujos recursos da venda de irão para o caixa da empresa, que pretende usá-los para ampliar seu negócio.

A oferta, que será coordenada por Santander, Itaú BBA, BTG Pactual e Morgan Stanley, servirá também para que o fundo Speed, da Gávea investimentos, e membros da família fundadora Aragão vendam participação na empresa, num lote de 15 milhões de ações.

Criada em 1994 e com sede na grande São Paulo, a Armac se apresenta como a maior do país em locação de escavadeiras hidráulicas, retroescavadeiras, tratores de esteira, minicarregadeiras, motoniveladoras e tratores agrícolas.

Microsoft (MSFT34)

A Microsoft anunciou ontem (14) que vai lançar uma versão do Windows baseada na nuvem, com objetivo de tornar mais simples o acesso a programas que precisam do sistema operacional a partir de uma gama mais ampla de dispositivos.

Chamado de Windows 365, o serviço vai ser lançado em 2 de agosto e funcionará como na compra de um computador novo: A empresa ou escola escolhe quanto quer de poder de computação, memória e armazenamento para a nova máquina.

Mas em vez de esperar pela chegada física do computador, o funcionário ou estudante poderá acessar o sistema operacional pela internet por meio de um PC, Mac, iPhone, celular com Android ou Chromebook, desde que o browser seja compatível com HTML 5.

A versão sob demanda do Windows foi criada em resposta a clientes que têm interesse que os usuários tenham acesso mais rápido e simples a um computador, independente da localização que estejam.

O serviço é semelhante aos chamados computadores “virtuais” ou “remotos” que existem há décadas mas que precisam de equipes sofisticadas de tecnologia da informação para serem administrados.

Santander (SANB11)

O Santander Brasil anunciou ontem (14) a compra do controle da plataforma de negócios de locação e assinatura de veículos Solution4Fleet e do marketplace de oficinas e serviços automotivos Car10.

As aquisições reforçam a estratégia do banco, que se apresenta como líder no financiamento de veículos no Brasil, com aproximadamente 25% deste mercado.

A Solution4Fleet oferece sistema de gestão de frota, manutenção assistida, assistência 24 horas e conserto, gestão de multas, serviços que podem ser ofertados a empresas que queiram abrir seus próprios negócios de aluguel de veículos.

“É um hub de serviços que pode ser oferecido para montadora de automóveis ou um dealer”, disse André Novaes, diretor da Santander Financiamentos.

A Car10 tem cerca de oito mil oficinas e serviços automotivos, como funilaria, higienização, assistência emergencial. Os proprietários de veículos podem obter indicações conforme a necessidade e também enviar fotos de seus carros para realizar cotações online, fazer agendamentos, buscar peças e acessórios e receber ofertas de serviços e descontos.

O Santander também informou que o Banco Central homologou a cisão parcial do Santander Brasil, com o objetivo de segregar a totalidade das ações emitidas pela Getnet Adquirência e Serviços Para Meios de Pagamentos.

PetroRio (PRIO3)

A petroleira Petro Rio informou ontem (14) que concluiu a interligação entre os campos de Polvo e Tubarão Martelo, em movimento que cria um polo de produção de campos maduros na Bacia de Campos e deve representar uma economia de 50 milhões de dólares por ano para a empresa.

Segundo a companhia, a redução de custos operacionais corresponde ao valor de leasing da plataforma FPSO Polvo, atualmente afretada ao campo, e gastos com manutenção e diesel. O projeto, que teve duração de 11 meses e custo de US$ 45 milhões, interliga a plataforma Polvo-A e o FPSO Bravo.

O custo total de operação do cluster, que estava em cerca de US$ 120 milhões por ano, será reduzido para aproximadamente US$ 70 milhões por ano, disse a empresa em fato relevante.

“A redução dos custos absolutos do novo cluster permitirá que mais óleo seja recuperado nos reservatórios, durante um maior período, aumentando consideravelmente o fator de recuperação dos campos”, acrescentou a Petro Rio.

A petroleira informou ainda que, a partir desta data, passará a ter direito sobre 95% do óleo do polo Polvo + Tubarão Martelo até os primeiros 30 milhões de barris de óleo produzido, e 96% após 30 milhões de barris, assim como será responsável por 100% dos custos de Opex, Capex e abandono dos campos.

BR Distribuidora (BRDT3) e BlackRock (BLAK34)

A BlackRock aumenta sua fatia na BR Distribuidora para 5,01%, dentendo 58 milhões de ativos emitidos pela empresa.

Eletrobras (ELET6)

A Eletrobras estuda realizar novo plano de demissão consensual ainda neste ano, antes da privatização, afirmou nesta quarta-feira o presidente da elétrica, Rodrigo Limp.

O executivo pontuou que a companhia já vem realizando diversos PDCs como parte de um projeto de reestruturação da empresa que teve início em 2016, tendo reduzido o quatro de funcionários de cerca de 23 mil para os atuais 12 mil.

“Estamos sim estudando para 2021 mais um Plano de Demissão Consensual para concluir ainda neste ano”, disse Limp, sem dar detalhes, durante entrevista ao Canal Energia transmitida na internet.

A ideia, segundo ele, está atualmente em estudo com a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, do Ministério da Economia.

Durante a entrevista, o executivo também falou sobre a possibilidade de migração da Eletrobras para o Novo Mercado da B3, mais alto nível de governança da bolsa paulista, após a privatização da companhia. Ele descartou, no entanto, que a migração pudesse ocorrer como parte do processo de capitalização.

Clear Sale (CLSA3)

Começa hoje (15) o período de reserva de ações da Clear Sale para pequenos investidores. A empresa definiu o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 20 e R$ 25. O IPO pode levantar R$ 1 bilhão, considerando a oferta base de 45,4 milhões de ações e o meio do intervalo de preço, de R$ 22,50.

O preço dos papéis será fixado em 28 de julho e a estreia está prevista para 30 de julho.

Petrobras (PETR4) e 3R Petroleum (RRRP3)

A Petrobras informou que concluiu ontem (14) a venda do Polo Rio Ventura (BH) para a 3R Rio Ventura, subsidiária integral da 3R Petroleum. A operação foi avaliada em US$ 94,2 milhões.

O Polo Rio Ventura tem oito campos terrestres de exploração e produção de petróleo.

Vale (VALE3)

A Vale informou que já foi destinado R$ 6,2 bilhões dos R$ 26 bilhões previstos no acordo de reparação pela tragédia de Brumadinho.

Copasa (CSMG3)

A Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) protocolou um recurso administrativo junto à agência reguladora de serviços de abastecimentos de água e de esgotamento sanitário do Estado de Minas Gerais.

Os principais pontos dos recursos estão relacionados à aplicação de metodologias regulatórias híbridas, taxa de remuneração regulatória, base regulatória de ativos, fator X, fundos municipais de saneamento básico e tarifas de esgoto.

Equatorial Energia (EQTL3)

A Equatorial Energia informou que o conselho de administração da sua controlada indireta, a CEEE-D (Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica) decidiu eleger Maurício Alvares da Silva Velloso Ferreira para o cargo de diretor-presidente.

A Companhia também informou que recebeu do seu acionista controlador, Estado de Minas Gerais, por meio da Advocacia Geral do Estado, um ofício informando a aprovação do Projeto de Lei nº 2.508/2021 pela Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, que, após sanção, autorizará suplementação orçamentária e aporte de capital nessa empresa para realização de intervenções e obras que potencializarão a resiliência hídrica das Bacias do Paraopeba e do Rio das Velhas, proveniente do Acordo firmado judicialmente entre o Estado de Minas Gerais e a empresa Vale.

General Shopping (GSHP3)

Os acionistas da General Shopping aprovaram a saída da companhia do segmento especial de listagem Novo Mercado, com a dispensa da realização de oferta pública de aquisição de ações e a consequente migração para o Segmento Básico de listagem.

Com isso, as ações da General Shopping passarão a ser negociadas no segmento básico de listagem em 16 de julho.

Aeris (AERI3)

A Aeris pretende captar R$ 500 milhões em debêntures para pagar dívida e reforçar caixa.

Oi (OIBR3)

A Oi, que está em recuperação judicial, informou que engajou instituições financeiras com o objetivo de avaliar alternativas de captação de recursos no mercado doméstico ou internacional de capitais de dívida, em conexão com o potencial refinanciamento das debêntures de primeira emissão da Oi Móvel com vencimento em janeiro de 2022.

Isa Cteep (TRPL4)

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista informou aos detentores das debêntures referentes à 4ª Emissão de Debêntures Simples, não conversíveis em ações, que em 15 de julho pagará R$ 1,2 mil por debêntures e juros no valor de R$ 73,63 por título.

Copel (CPLE6)

A Copel informou que mudou o endereço da sede da companhia, “essa mudança é parte da estratégia de redução de custos e da integração entre a Administração e corpo técnico para potencializar a sinergia entre as áreas dos negócios da Copel, com ambientes integrados que promoverão ainda mais o trabalho colaborativo, incentivando a inovação e a melhoria nos processos”, informou a empresa via fato relevante.

Banrisul (BRSR6)

O Banco do Estado do Rio Grande do Sul seu conselho de administração aprovou a proposta da diretoria do Banrisul para que seja iniciado o processo visando consolidar sua controlada Banrisul Cartões. O JPMorgan foi contratado para ser o assessor financeiro da proposta.

A criação poderá envolver “a alienação de ações de emissão da Banrisul Cartões, inclusive representativas do seu controle acionário, e poderá ser realizada por meio de aumento de capital a ser subscrito por terceiros, alienação primária de ações de emissão do Banrisul Cartões, operações de fusão, cisão, incorporação, incorporação de ações, combinação de negócios, joint ventures, alienação de ativos, acordos comerciais, em uma única operação ou em uma série de operações e outras estruturas jurídicas e financeiras a serem estabelecidas pelo Conselho de Administração oportunamente”, informou a instituição.

“O movimento busca fortalecer e proporcionar crescimento à Banrisul Cartões, com possibilidade de expansão dos serviços para todo o Brasil. É uma ação bem estruturada para incrementar o potencial de negócio dessa subsidiária e ampliar a sua competitividade. É importante deixar claro que não se trata da venda da Banrisul Cartões, pois o Banrisul continuará tendo participação relevante na empresa”, destacou Claudio Coutinho, presidente do Banco do Estado do Rio Grande do Sul.

Lavvi (LAVV3)

A Lavvi divulgou as prévias operacionais do segundo trimestre. A companhia lançou empreendimentos no valor de R$ 705 milhões e vendeu R$ 507 milhões.

Aura Minerals (AURA33)

A Aura Minerals informou que foi aprovado a 1º emissão de debêntures de sua controlada indireta, Aura Almas Mineração, no montante total de R$ 400 milhões, sendo emitidas 400 mil Debêntures ao valor nominal unitário de R$ 1 mil. As debêntures serão com esforços restritos (oferta restrita).

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).