Fusão entre Solar e Simões une distribuidoras da Coca-Cola no país

União de duas empresas fará com que companhia tenha uma receita líquida combinada de cerca de R$ 6,5 bilhões

Redação
Compartilhe esta publicação:
Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Segundo a Solar, a fusão fará com que companhia tenha uma receita líquida combinada de cerca de R$ 6,5 bilhões

Acessibilidade


A engarrafadora Solar anunciou hoje (28) que assinou acordo para incorporar o Grupo Simões, por valor não revelado, unindo as distribuidoras da Coca-Cola no Norte e Centro-Oeste do país.

O grupo combinado passará a cobrir cerca de 70% do país, com a Solar passando a ter 12 fábricas e 42 centros de distribuição que atenderão a mais de mais de 370 mil pontos de venda.

LEIA TAMBÉM: Camil expande atuação na América do Sul com aquisição de ativos no Equador

A companhia estima que terá uma receita líquida combinada de cerca de R$ 6,5 bilhões e Ebitda de mais de R$ 1 bilhão, antes de sinergias, com base nos números em 2020.

O controle da empresa será compartilhado entre as famílias controladoras de Solar e do Grupo Simões e a Coca-Cola seguirá a tendo participação relevante no negócio, diz o comunicado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Solar é a segunda maior fabricante da Coca-Cola no Brasil, com 9 fábricas e 34 centros de distribuição. O grupo Simões, que tem 17 empresas de bebidas, gases e veículos, fabrica e distribui para a Coca-Cola no Norte do país desde 1970. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: