Ibovespa abre em queda após dados de inflação nos EUA

O Ibovespa opera em queda no início do pregão de hoje (13), com recuo de 0,34%, a 127.163 pontos perto das 10h14, horário de Brasília. Os mercados globais repercutem hoje o início da temporada de balanços nos Estados Unidos e os dados da inflação de junho do país. No Brasil, a sanção do texto que abre caminho para a privatização da Eletrobras e dados sobre o setor de serviços também estão no radar dos investidores.

Os preços ao consumidor nos EUA referentes ao mês de junho registraram alta de 0,9% na comparação mensal, e de 5,4% ante mesmo período em 2020, acima das expectativas da Refinitiv, que esperava crescimento de 0,5% na base mensal, e de 4,9%, na anual.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Filipe Villegas, estrategista de ações da Genial Investimentos, explica que o mercado está dividido. Do lado que sustenta o preço dos ativos, “temos investidores com boas expectativas em relação à temporada de balanços, que esperam que as empresas consigam divulgar resultados sólidos”. Enquanto, por outro lado, “as pressões inflacionárias continuam sendo uma preocupação para os investidores, com especulações sobre quando o Fed vai começar a cortar os estímulos e como isso poderia afetar os resultados corporativos em alguns setores”.

Já no contexto doméstico, o volume do setor de serviços do Brasil cresceu 1,2% em maio em relação a abril e teve alta de 23,0% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira. A expectativa do mercado era de avanço de 1,3% na comparação mensal, e de 22,6% na anual.

Em Brasília, a sanção da medida provisória da privatização da Eletrobras foi publicada no Diário Oficial de hoje. O presidente Jair Bolsonaro sancionou o texto que incluiu 14 dispositivos vetados, permitindo a privatização por aumento do capital social, com renúncia do direito de subscrição de ações pela União, que assim terá diluída sua fatia de 61% na empresa.

Ainda hoje, o relator da reforma tributária, Celso Sabino, deve apresentar seu parecer do projeto na Câmara, com o intuito de ampliar a discussão para que o texto possa ser votado no início de agosto.

O dólar avança frente ao real nesta terça-feira diante da divulgação dos dados da inflação norte-americana, enquanto as tensões em Brasília continuavam no radar. Às 10h14, o dólar subia 0,85%, a R$ 5,2192.

Nos Estados Unidos, os futuros dos principais índices de ações do país operam em queda nesta manhã, com investidores digerindo os números da inflação e os primeiros resultados financeiros do segundo trimestre de 2021. O JPMorgan anunciou o lucro líquido de US$ 11,9 bilhões no período, ou US$ 3,78 por ação, ante US$ 4,69 bilhões ou US$ 1,38 por ação um ano atrás.

Já o Goldman Sachs reportou lucro trimestral acima das estimativas de analistas. O lucro diluído por ação ordinária foi de US$ 15,02, em comparação com US$ 0,53 um ano antes. Analistas esperavam lucro de US$ 10,24 por ação, conforme a estimativa IBES/Refinitiv. A receita do banco de investimento cresceu 36%, para US$ 3,61 bilhões.

As ações europeias operam sem direção nesta sexta-feira, monitorando a temporada de balanços nos EUA. O índice Stoxx 600 cai 0,10%; na Alemanha, o DAX recua 0,03%; enquanto o CAC 40 desvaloriza 0,02% na França; na Itália, o FTSE MIB recua 0,31%; e o FTSE 100 cresce 0,16%, no Reino Unido.

Na Ásia, as Bolsas fecharam em alta. O índice Nikkei avançou 0,52%, no Japão; o Hang Seng, de Hong Kong, valorizou 1,65%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou em alta de 0,76%. O índice Shanghai, da China, após as exportações, em dólares no país, subirem 32,2% em junho sobre o ano anterior, comparado com crescimento de 27,9% em maio. Analistas consultados pela Reuters projetavam alta de 23,1%.

Os contratos futuros do minério de ferro na Ásia avançaram nesta terça-feira, à medida que preocupações persistentes com a oferta apertada da matéria-prima siderúrgica ofuscam uma redução na demanda por aço na China. O país asiático, que recebe quase dois terços do minério de ferro transportado por vias marítimas, viu suas importações da matéria-prima recuarem para o menor nível em 13 meses em junho. Na Bolsa de Dalian, o contrato mais negociado do minério de ferro fechou em alta de 3,3%, a 1.225 iuanes (US$ 189,49) por tonelada.

Os preços do petróleo sobem nesta terça-feira, após as expectativas de novas quedas nos estoques dos EUA superaram os temores de que a disseminação das variantes da Covid-19 poderia prejudicar a recuperação econômica global. Por volta das 9h55, os futuros do petróleo Brent subiam 0,27%, a US$ 75,36 o barril, enquanto os futuros do petróleo WTI avançavam 0,13%, a US$ 74,20 o barril. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).