Inflação no Japão sobe 0,2% em junho e atinge máxima de 15 meses

REUTERS/Issei Kato/File Photo
REUTERS/Issei Kato/File Photo

O aumento deve-se principalmente à alta de 4,6% nos custos de energia, sinal de que as famílias estão enfrentando um custo de vida mais alto

O núcleo dos preços ao consumidor do Japão subiu 0,2% em junho frente ao ano anterior, marcando o ritmo anual mais rápido em mais de um ano, mostraram dados de hoje (20), um sinal de que o impacto da inflação mundial em commodities está se expandindo gradualmente.

Contudo, o aumento, impulsionado em grande parte pelos custos de energia mais altos, foi muito menor do que o de outras grandes economias devido ao consumo fraco, reforçando as expectativas de que o banco central do Japão será forçado a manter seu enorme estímulo por enquanto.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O aumento no núcleo do índice de preços ao consumidor – que inclui produtos petrolíferos, mas exclui o efeito dos preços voláteis de alimentos frescos – correspondeu à previsão média do mercado de um ganho de 0,2%, após aumento de 0,1% em maio.

O aumento, o mais rápido desde março de 2020, deve-se principalmente à alta de 4,6% nos custos de energia, com os preços da gasolina subindo 17,9%, sinal de que as famílias estão enfrentando um custo de vida mais alto.

Nas projeções trimestrais mais recentes, divulgadas na última sexta-feira (16), o BOJ (Banco Central do Japão cortou sua previsão de crescimento econômico para o ano fiscal encerrado em março de 2022 para 3,8% ante 4,0%, em parte devido às novas restrições da Covid-19.

O banco revisou para cima a previsão do núcleo do índice de preços deste ano de 0,1% para 0,6%, refletindo principalmente o aumento nos preços de energia. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).