Minério de ferro avança na China com expectativa de afrouxamento monetário

David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

O contrato mais negociado do minério de ferro fechou em alta de 1,6%

Os contratos futuros de ferrosos na China – maior produtora global de aço – avançaram hoje (15), com o minério de ferro negociado em Dalian engatando a quarta sessão consecutiva de ganhos, à medida que a recuperação econômica hesitante do país sustenta expectativas de medidas adicionais de suporte.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian fechou em alta de 1,6%, a 1.234 iuanes (US$ 191,01) por tonelada.

LEIA TAMBÉM: Importação de etanol pelo Brasil tem menor nível em 8 anos em junho, diz Platts

Na bolsa de Cingapura, o vencimento mais ativo do minério de ferro, para agosto, subia 1,9%, para US$ 214 a tonelada.

A economia da China cresceu de forma mais lenta do que o esperado no segundo trimestre, com avanço de 7,9% na comparação anual, refletindo a desaceleração da atividade manufatureira, o impacto dos custos mais elevados de matérias-primas e novos surtos de Covid-19, que afetaram o ímpeto da recuperação.

Os dados decepcionantes do Produto Interno Bruto (PIB) deram impulso a expectativas de que a China manterá as taxas de juros estáveis, nos níveis atuais, por “um período prolongado”, podendo lançar “medidas monetárias mais estruturais” na segunda metade do ano, disseram analistas da ANX em nota.

“Acreditamos que as autoridades reduzirão ativamente o risco do sistema financeiro no segundo semestre”, afirmaram. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).