Os bilionários brasileiros que mais ganharam - e perderam - nos últimos meses

Queda de 50% no Patrimônio da família Godoy Bueno recuou 50% nos últimos meses, enquanto fortuna de Rubens Ometto foi multiplicada em mais de cinco vezes.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A fortuna das 67 pessoas mais ricas do Brasil cresceu cerca de US$ 30 bilhões nos últimos quatro meses, veja os principais ganhos e perdas

Acessibilidade


Os últimos quatro meses foram de grandes ganhos para o seleto grupo de brasileiros que figuram no ranking de Bilionários do Mundo da Forbes. O patrimônio conjunto dos mais ricos do país aumentou em cerca de 13,5%, indo de US$ 223,2 bilhões em março para US$ 253,5 bilhões em junho. Esse crescimento garantiu que o Brasil mantivesse seus 67 nomes na lista internacional, embora alguns deles tenham mudado de posição no ranking.

Entre ganhos e perdas registrados nos últimos quatro meses, a família Godoy Bueno chama atenção. Em março de 2021, a médica e empresária Dulce Pugliese de Godoy Bueno ocupava a 9ª posição na lista de bilionários brasileiros, com US$ 6 bilhões de patrimônio. Sua filha, Camilla de Godoy Bueno Grossi aparecia no 17° lugar, seguida pelo irmão, Pedro de Godoy Bueno, no 18°.

Dulce possui 48% das ações da rede de saúde Dasa e também fundou a empresa de assistência médica Amil. Os três membros da família perderam cerca de 53% de suas fortunas após uma forte queda das ações da Dasa.

Em 6 de abril deste ano, os papéis da empresa eram cotados a R$ 144,00 na B3. No dia seguinte, o valor caiu para R$ 71,99 após o follow-on do grupo ser precificado em R$ 58,00 por papel, abaixo da faixa indicativa de preço. Ontem, Dulce encerrou o dia com patrimônio de US$ 2,8 bilhões, segundo estimativa da Forbes. Seus filhos, Camilla e Pedro, também registraram perdas de US$ 3,1 e US$ 3 bilhões, e seus patrimônios encolheram para US$ 1,4 bilhão e US$ 1,3 bilhão, respectivamente.

Já o fundador e sócio controlador do Grupo Cosan, Rubens Ometto Silveira Mello, é uma das pessoas que mais enriqueceu nos últimos quatro meses. Desde março, seu patrimônio se multiplicou mais de cinco vezes, passando de US$ 1,6 bilhão para US$ 9,3 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Esta mudança fez com que Ometto avançasse da 1931ª posição no ranking mundial da Forbes para o 262° lugar. O empresário foi a primeira pessoa do mundo no setor de etanol a se tornar bilionário, em 2007. Seu grupo está listado na Bolsa de Valores de Nova York e é gigante nas áreas de açúcar, álcool, energia, lubrificantes e logística.

André Esteves é outro brasileiro que viu sua fortuna aumentar. O empresário e principal acionista do banco de investimentos BTG Pactual, do qual foi CEO até 2015, viu seu patrimônio crescer cerca de 86% nos últimos quatro meses, de US$ 4,5 bilhões em março para US$ 8,4 bilhões em julho. Esteves marcou presença na lista de bilionários brasileiros da Forbes em todos os anos da última década.

Eduardo Saverin, cofundador do Facebook, chegou ontem (5) pela primeira vez ao posto de brasileiro mais rico do mundo, ultrapassando Jorge Paulo Lemann. Nos últimos meses, sua fortuna cresceu cerca de 33%, aumentando de US$ 14,6 bilhões em março para US$ 19,5 bilhões, ontem.

O caminho para se tornar a pessoa mais rica nascida no Brasil foi longo. Em 2012, Saverin estava em 20° lugar. A primeira vez que fez parte do top 10 brasileiro foi em 2015 e, em 2016, chegou ao top 5. Ele mora em Singapura, e atualmente é a quarta pessoa mais rica do país. A maior parte de sua fortuna é proveniente de sua participação no Facebook, cujas ações cresceram de R$ 54,96 para R$ 64,17 nos últimos quatro meses.

O período entre março e julho deste ano também foi agitado para Jorge Neval Moll Filho, cardiologista e empresário fundador da Rede D’Or, um dos maiores hospitais e operadoras de laboratórios do Brasil. A Forbes estima que sua fortuna cresceu 20,4%, passando de US$ 11,3 para US$ 13,6 bilhões.

A Rede D’Or é composta por mais de 40 hospitais, incluindo os hospitais São Luiz. Com o aumento de seu patrimônio, Moll saiu do quarto para o terceiro lugar na lista dos brasileiros mais ricos do planeta.

Para estimar a fortuna dos bilionários, a Forbes leva em consideração patrimônio e participação em empresas de capital aberto. Para

A Forbes usou os preços das ações e as taxas de câmbio de 5 de julho para calcular o patrimônio líquido. Em março, a data de corte foi também o quinto dia do mês. Confira na galeria abaixo os principais destaques dos últimos quatro meses.

  • 1 – Família Godoy Bueno

    Dulce Pugliese de Godoy Bueno

    Fortuna em 5 de março: US$ 6 bilhões (9° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 2,8 bilhões (24° lugar)
    Diferença percentual: queda de 53%
    País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
    Idade: 73 anos
    Fonte da fortuna: Amil / Dasa

    Camilla de Godoy Bueno Grossi

    Fortuna em 5 de março: US$ 3,1 bilhões (17° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 1,4 bilhões (60° lugar)
    Diferença percentual: queda de 54,8%
    País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
    Idade: 42 anos
    Fonte da fortuna: Amil / Dasa

    Pedro de Godoy Bueno

    Fortuna em 5 de março: US$ 3 bilhões (18° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 1,3 bilhões (62° lugar)
    Diferença percentual: queda de 56,7%
    País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
    Idade: 31 anos
    Fonte da fortuna: Amil / Dasa

  • 2 – Rubens Ometto Silveira Mello

    Fortuna em 5 de março: US$ 1,6 bilhão (52° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 9,3 bilhões (6° lugar)
    Diferença percentual: crescimento de 481%
    País de origem/ domicílio: Brasil/Brasil
    Idade: 71 anos
    Fonte da fortuna: Cosan

  • 3 – André Esteves

    Fortuna em 5 de março: US$ 4,5 bilhões (14° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 8,5 bilhões (7° lugar)
    Diferença percentual: crescimento de 88,9%
    País de origem/domicílio: Brasil/Brasil
    Idade: 52 anos
    Fonte da fortuna: Pactual

    Getty Images
  • 4 – Eduardo Saverin

    Fortuna em 5 de março: US$ 14,6 bilhões (2° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 19,5 bilhões (1° lugar)
    Diferença percentual: crescimento de 33,6%
    País de origem/domicílio: Brasil/Singapura
    Idade: 39 anos
    Fonte da fortuna: Facebook

  • 5 – Jorge Moll Filho & família

    Fortuna em 5 de março: US$ 11,3 bilhões (4° lugar)
    Fortuna em 5 de julho: US$ 13,6 bilhões (3° lugar)
    Diferença: crescimento de 20,4%
    País de origem / domicílio: Brasil/Brasil
    Idade: 76 anos
    Fonte da fortuna: Rede D’Or

    Reprodução / Rede São Luiz

1 – Família Godoy Bueno

Dulce Pugliese de Godoy Bueno

Fortuna em 5 de março: US$ 6 bilhões (9° lugar)
Fortuna em 5 de julho: US$ 2,8 bilhões (24° lugar)
Diferença percentual: queda de 53%
País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
Idade: 73 anos
Fonte da fortuna: Amil / Dasa

Camilla de Godoy Bueno Grossi

Fortuna em 5 de março: US$ 3,1 bilhões (17° lugar)
Fortuna em 5 de julho: US$ 1,4 bilhões (60° lugar)
Diferença percentual: queda de 54,8%
País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
Idade: 42 anos
Fonte da fortuna: Amil / Dasa

Pedro de Godoy Bueno

Fortuna em 5 de março: US$ 3 bilhões (18° lugar)
Fortuna em 5 de julho: US$ 1,3 bilhões (62° lugar)
Diferença percentual: queda de 56,7%
País de origem/ domicílio: Brasil/ Brasil
Idade: 31 anos
Fonte da fortuna: Amil / Dasa

Compartilhe esta publicação: