Revolut é avaliado em US$ 33 bilhões após captação liderada pelo Softbank

O investimento contou com participação da Tiger Global.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

O banco Revolut conquistou mais de 16 milhões de clientes com produtos que incluem câmbio, negociação de ações e criptomoedas

Acessibilidade


O banco digital Revolut, com sede no Reino Unido, levantou cerca de US$ 800 milhões em uma nova rodada de investimento liderada pelo Softbank e pela Tiger Global, avaliando a empresa em cerca de US$ 33 bilhões.

A captação torna a Revolut a fintech britânica mais valiosa e, no papel, agora vale um pouco mais do que a capitalização de mercado do principal banco NatWest.

LEIA TAMBÉM: Mercado Bitcoin recebe aporte de US$ 200 milhões do SoftBank

A Revolut valia apenas US$ 5,5 bilhões quando levantou US$ 500 milhões no início de 2020, e estava de olho em uma avaliação de cerca de 20 bilhões em junho, de acordo com relatos da mídia na época.

Essas avaliações estelares são cada vez mais comuns no setor de tecnologia financeira, com a empresa de pagamentos Wise avaliada em US$ 11 bilhões na semana passada na maior listagem de tecnologia de Londres.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Fundada em 2015 pelo ex-executivo do Credit Suisse Nik Storonsky e pelo desenvolvedor Vladyslav Yatsenko, a Revolut conquistou mais de 16 milhões de clientes com produtos que incluem câmbio, negociação de ações e criptomoedas, reduzindo os preços dos bancos tradicionais.

No entanto, ela ainda precisa traduzir esse rápido crescimento em lucratividade, com suas perdas anuais dobrando no último ano financeiro com o investimento em controles de risco.

Nos últimos anos, a Revolut acelerou sua expansão global, entrando em mercados como os Estados Unidos, Austrália e Japão.

O dinheiro da captação será usado principalmente para ajudar no desenvolvimento de produtos e marketing em países onde a Revolut está se expandindo, particularmente nos EUA e Índia, disse o diretor financeiro Mikko Salovaara a repórteres.

A arrecadação de fundos não afeta o cronograma para uma possível listagem da Revolut, disse ele.

“Eventualmente seremos uma empresa de capital aberto, mas não temos planos imediatos de listar”, disse ele. (Com Reuters)



Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: