Em 10 megarrodadas, financiamento de criptomoedas levanta US$ 3,9 bilhões neste ano

Com os mercados de criptomoedas novamente em alta, previsão é que mais grandes rodadas acontecerão

Nina Bambysheva
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

FTX, do bilionário Sam Bankman-Fried, lidera a lista com aporte de US$ 900 milhões

Acessibilidade


As startups de blockchain continuam quebrando recordes de financiamento. Dez das doze maiores rodadas de financiamento já concluídas por empresas no mercado aconteceram em 2021, com cinco meses ainda pela frente – juntas, elas somam US$ 3,9 bilhões. Quase metade dessa quantia foi arrecadada apenas nos últimos dois meses.

O ponto alto desta recente onda vem da exchange de criptomoedas FTX, que conseguiu o maior investimento privado da história do setor, de US$ 900 milhões, no mês passado, dobrando o recorde de seu precursor, o provedor de infraestrutura digital Circle. A avaliação da FTX subiu para US$ 18 bilhões. A rodada também dobrou o patrimônio líquido do cripto-bilionário mais rico do mundo, Sam Bankman-Fried, o fundador da exchange, que viu sua fortuna crescer de US$ 8,3 bilhões para US$ 16,2 bilhões.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

No topo da lista dos investidores americanos mais prolíficos, considerando o período até 29 de julho, está o Digital Currency Group de Barry Silbert, que apoiou 111 startups do setor, de acordo com a empresa de pesquisa Pitchbook. Em seguida está a Coinbase Ventures, que investiu em 79 empresas, a Pantera Capital (74), a Blockchain Capital (68), a Andreessen Horowitz (58) e a Polychain Capital (51).

Com os mercados de criptomoedas novamente em alta, prevemos mais grandes rodadas este ano. Até o momento, estes são os 12 maiores aportes na história das criptos (não inclui investimentos recebidos por empresas que operam primariamente com ativos não-cripto):

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

FTX: US$ 900 milhões
Data da transação: 20 de julho de 2021
Rodada: Série B
Investidores notáveis: Paradigm, Sequoia Capital, Ribbit Capital, Third Point, Lightspeed Venture Partners, Coinbase Ventures, Softbank, Sino Global Capital, Circle
Avaliação após a rodada: US$ 18 bilhões
Avaliação anterior: US$ 1,2 bilhão
Novata entre as exchanges de criptomoedas, a FTX, lançada em maio de 2019, diferenciou-se de gigantes da indústria como Binance e Coinbase, oferecendo até mesmo a traders inexperientes funcionalidades avançadas e produtos de investimento sofisticados, incluindo opções, futuros, produtos de volatilidade e tokens alavancados. O volume médio negociado por dia pela FTX é de mais de US$ 10 bilhões. Suas receitas cresceram dez vezes este ano e 75 vezes desde a rodada de financiamento da Série A.

Circle: US$ 440 milhões
Data da transação: 28 de maio de 2021
Investidores notáveis: Fidelity Management and Research Company, Marshall Wace, Digital Currency Group, FTX, Breyer Capital
Avaliação após a rodada: Indisponível
Avaliação anterior: US$ 3 bilhões
O provedor de infraestrutura de pagamentos e tesouraria Circle é mais conhecido como um dos principais desenvolvedores do stablecoin USDC, que cresceu mais de 3400% este ano. Atualmente há mais de US$ 27 bilhões do ativo em circulação, e a empresa afirma que mais de US$ 785 bilhões já foram movimentados em transações. Em 8 de julho, a Circle anunciou planos de abrir o capital por meio de uma fusão com a Concord Acquisition Corp., uma Spac (empresa de aquisição de propósito especial de capital aberto) liderada pelo ex-CEO do Barclays Bob Diamond – a empresa foi avaliada em US$ 4,5 bilhões.

Bitmain: US$ 422 milhões
Data da transação: 7 de agosto de 2018
Rodada: Série B1
Investidores notáveis: Crimson Capital China, Bluebell (Ásia), Jumbo Sheen Group, Lioness Capital, Palace Investment Company, Pavilion Capital
Avaliação após a rodada: US$ 15 bilhões
Avaliação anterior: US$ 12 bilhões
Líder mundial na fabricação de hardware para mineração de bitcoin, Bitmain também opera o Antpool, um dos maiores pools de mineração de bitcoin, respondendo por 13% do “hash power” de rede do bitcoin. Pouco depois do aumento de capital de US$ 422 milhões, a empresa sediada em Pequim entrou com um pedido de IPO na Bolsa de Valores de Hong Kong em setembro de 2018, mas os planos foram abandonados por depois do crash do bitcoin e do esfriamento do mercado.

Ledger: US$ 380 milhões
Data da transação: 10 de junho de 2021
Rodada: Série C
Investidores notáveis: 10T Holdings, Cathay Innovation, Draper Esprit, Draper Associates, Draper Dragon, DCG.
Avaliação após a rodada: US$ 1,5 bilhão
Avaliação anterior: US$ 287,1 milhões
A Ledger produz carteiras de hardware, dispositivos usados ​​para armazenar ativos digitais. Ela já vendeu mais de 3 milhões de carteiras em 190 países e conta com mais de 1,5 milhão de usuários mensais no Ledger Live, um aplicativo mobile que permite aos donos das carteiras gerenciar e armazenar seus ativos. A empresa se integrou a plataformas como Coinify, de pagamentos em criptomoedas; a exchange de criptos Changelly e a Compound, uma plataforma descentralizada de criptomoedas e empréstimos.

BlockFi: US$ 350 milhões
Data da transação: 11 de março de 2021
Rodada: Série D
Investidores notáveis: Bain Capital Ventures, parceiros da DST Global, Pomp Investments, Tiger Global, Susquehanna Government Products
Avaliação após a rodada: US$ 3 bilhões
Avaliação anterior: US$ 435 milhões
Fundada em 2017, a BlockFi, com sede em Nova Jersey, é agora uma das principais provedoras de empréstimos em criptomoedas. Seus produtos abrangem várias categorias, incluindo empréstimos garantidos por criptomoedas e contas que permitem que os investidores ganhem juros sobre seus criptoativos. Boatos sobre um potencial IPO da BlockFi começaram a circular em julho passado, após a divulgação de uma vaga de trabalho que tinha como uma de suas funções auxiliar a empresa a abrir o capital. No mês passado, reguladores do Texas, New Jersey e Alabama começaram a questionar a legalidade das contas que rendem juros oferecidas pela empresa.

Solana Labs: US$ 314 milhões
Data da transação: 9 de junho de 2021
Rodada: Venda de token por canal privado
Investidores notáveis: Andreessen Horowitz, Polychain Capital, Alameda Research, Blockchange Ventures, CMS Holdings.
Avaliação após a rodada: Indisponível
Avaliação anterior: Indisponível
Solana, uma blockchain proof-of-stake que compete com o Ethereum, afirma oferecer escalabilidade e velocidade aprimoradas. De acordo com dados do Blockchair, a rede é capaz de processar mais de mil transações por segundo (TPS), em comparação com as 14 do ethereum. A Solana facilitou mais de 19 bilhões de transações até o momento e hospeda uma variedade de produtos descentralizados, incluindo o Serum, uma exchange descentralizada fundada por Sam Bankman-Fried, da FTX.

Fireblocks: US$ 310 milhões
Data da transação: 27 de julho de 2021
Rodada: Série D
Investidores notáveis: Sequoia Capital, SCB 10X (braço de risco do Siam Commercial Bank), Coatue, Stripes, Spark Capital, DRW VC
Avaliação após a rodada: US$ 2 bilhões
Avaliação anterior: Indisponível
O custodiante de criptomoedas de Nova York oferece uma plataforma de nível empresarial para mover, armazenar e emitir ativos digitais, incluindo bitcoin, ethereum, polkadot e outros. Um recurso que diferencia o Fireblocks da concorrência é o uso de uma nova forma de segurança de carteira conhecida como MPC (computação multipartidária), que permite que várias pessoas avaliem uma computação sem nunca revelar nenhum dos dados privados detidos por cada uma das partes. Desde seu início, em 2019, o Fireblocks tem em sua carteira mais de US$ 1 trilhão em ativos digitais.

Dapper Labs: US$ 305 milhões
Data da transação: 30 de março de 2021
Rodada: Quinta rodada
Investidores notáveis: Coatue Management, Andreessen Horowitz, Michael Jordan, Kevin Durant
Avaliação após a rodada: US$ 2,6 bilhões
Avaliação anterior: Indisponível
A startup com sede em Vancouver é mais conhecida como a desenvolvedora do NBA Top Shot, um marketplace de NFTs (tokens não-fungíveis) de vídeos de grandes momentos de partidas de basquete. O projeto, que já ultrapassou a marca de US$ 500 milhões em volume de negociação, é em grande parte responsável pelo boom dos NFTs, que são basicamente provas digitais de propriedade rastreáveis por blockchain. No passado, a Dapper Labs desenvolveu um jogo popular de itens colecionáveis chamado CryptoKitties.

Bullish: US$ 300 milhões
Data da transação: 11 de maio de 2021
Rodada: Primeira rodada
Investidores notáveis: Thiel Capital e Founders Fund, de Peter Thiel; Alan Howard, Galaxy Digital, Nomura
Avaliação após a rodada: Indisponível
Avaliação anterior: Indisponível
Em maio, a Block.one, empresa por trás do software de código aberto EOSIO, lançou uma subsidiária independente focada no lançamento da Bullish, uma nova exchange de criptomoedas. O empreendimento arrecadou mais de US$ 10 bilhões em dinheiro e ativos digitais, incluindo a rodada de investimentos de US$ 300 milhões que contou com a participação de investidores renomados como Peter Thiel, Alan Howard e Richard Li, entre outros. Em julho, apenas dois meses depois do seu lançamento, a Bullish revelou planos de abrir o capital por meio de uma fusão com uma SPAC – a empresa foi avaliada em US$ 9 bilhões.

Paxos: US$ 300 milhões
Data da transação: 29 de abril de 2021
Rodada: Série D
Investidores notáveis: Oak HC/FT, PayPal Ventures, Declaration Partners, Liberty City Ventures, Bank of America
Avaliação após a rodada: US$ 2,4 bilhões
Avaliação anterior: Indisponível
A tecnologia da Paxos dá suporte aos serviços de corretagem de criptomoedas do PayPal e da Venmo, de propriedade do PayPal, o que permite a milhões de usuários comprar, guardar e vender criptomoedas. Os outros produtos e serviços da empresa incluem o stablecoin PAX (Paxos Standard) lastreado em dólares, a exchange itBit, e um serviço de liquidação de ações usado por Credit Suisse, Societe Generale e Instinet, o braço comercial da Nomura Holdings.

Blockchain.com: US$ 300 milhões
Data da transação: 24 de março de 2021
Rodada: Série C
Investidores notáveis: sócios da DST Global, Lightspeed Venture Partners, VY Capital
Avaliação após a rodada: US$ 5,2 bilhões
Avaliação anterior: US$ 3 bilhões
A Blockchain.com fornece uma variedade de serviços de criptomoedas para clientes institucionais e de varejo, mas é mais famosa por suas carteiras digitais sem custódia. Ao contrário de suas contrapartes, que usam carteiras controladas por terceiros, a Blockchain.com fornece aos usuários controle total sobre suas chaves privadas (que representam o título de propriedade de criptoativos). A empresa com sede em Londres afirma que processou 28% de todas as transações de bitcoin desde 2012.

Bakkt: US$ 300 milhões
Data da transação: 16 de março de 2020
Rodada: Série B
Investidores notáveis: Intercontinental Exchange (ICE), BCG Digital Ventures, PayU
Avaliação após a rodada: Indisponível
Avaliação anterior: Indisponível
Em fevereiro de 2020, o empreendimento de criptomoedas da ICE (proprietária da Bolsa de Valores de Nova York) anunciou a aquisição da Bridge2 Solutions, fornecedora de programas de fidelidade, para impulsionar a plataforma de varejo one-stop da Bakkt. Chamado Bakkt App, o serviço permite aos usuários agregar vários ativos digitais, incluindo pontos de fidelidade, programas de recompensas, ativos de jogos e criptomoedas em uma única carteira. Em janeiro, a Bakkt anunciou que iria abrir o capital por meio de uma fusão com a Spac VPC Impact Acquisition Holdings por um valor de cerca de US$ 2,1 bilhões. Após o fechamento do negócio, a nova companhia será listada na Bolsa de Valores de Nova York como Bakkt Holdings, Inc.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: