Endereços chineses de criptomoedas transferiram US$ 2,2 bilhões para fraudes e darknets

Getty Images
Getty Images

Lavagem de dinheiro é uma das formas significativas de crime na China que envolve criptomoedas

Endereços chineses de criptomoedas transferiram o equivalente a mais de US$ 2,2 bilhões em recursos para contas vinculadas a atividades ilegais como fraudes e operações de darknets entre abril de 2019 e junho deste ano, segundo dados da empresa de pesquisa em blockchain Chainalysis, divulgados hoje (3).

Os endereços receberam US$ 2 bilhões em criptomoedas de fontes ilícitas também, tornando a china um grande mercado para crimes relacionados a moedas digitais, afirma o levantamento.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Entretanto, o volume de transações da China com endereços ilícitos caiu drasticamente ao longo do período analisado em termos de valor absoluto e em relação a outros países, afirmou a Chainalysis. O principal motivo é a ausência de esquemas grandes de pirâmide como o de 2019 que envolveu a carteira digital e bolsa PlusToken, segundo a empresa. Usuários e clientes perderam algo entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões no esquema.

A grande maioria das movimentações ilegais de recursos em criptomoedas na China está relacionado a esquemas de fraude, embora isso também venha caindo, afirma o levantamento.

“Isso ocorre principalmente por causa da atenção criada pelo escândalo da PlusToken, bem como por campanhas de fiscalização do governo na área”, disse Gurvais Grigg, vice-presidente de tecnologia para o setor global público da Chainalysis.

O levantamento também cita o tráfico para fora da China de fentanil, um narcótico muito potente para tratamento de dor crônica ou dor pós-operatória. A Chainalysis descreve a China como centro do comércio global de fentanil, com muitos fabricantes chineses da droga usando criptomoedas para fazer transações.

Lavagem de dinheiro é outra forma significativa de crime na China que envolve criptomoedas, disse a Chainalysis. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).