Energisa tem lucro líquido de R$ 749 milhões no 2º trimestre

A companhia elétrica conseguiu reverter o prejuízo de R$ 88 milhões apurado em igual período do ano passado

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A elétrica Energisa reportou hoje (12) lucro líquido consolidado de R$ 749 milhões no segundo trimestre de 2021, revertendo o prejuízo de R$ 88 milhões apurado em igual período do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em português) ajustado consolidado da empresa somou R$ 1,498 bilhão, salto de 86,8% na comparação anual.

LEIA MAIS: Elétrica Energisa quer expandir ‘fintech’ Voltz com aposta em promoções e Pix

A empresa citou entre os fatores positivos para o resultado a atualização financeira do VNR, a adoção do IFRS 15 no segmento de transmissão e a constituição de Fundo de Investimento em Cotas em Direitos Creditórios não padronizados (FIDC).

Além disso, a Energisa –que controla distribuidoras de energia e possui negócios em transmissão e geração renovável– ainda mencionou efeito positivo de R$ 142 milhões referente à marcação a mercado de derivativos, sem efeito caixa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As vendas de energia da empresa cresceram 7,9% na comparação anual, para 9.049 gigawatts-hora (GWh), com todas as classes apresentando resultado positivo, o que configura uma “forte recuperação”, segundo relatório da companhia.

A dívida líquida consolidada da empresa totalizou R$ 13,9 bilhões em junho, contra R$ 14,22 bilhões ao final do trimestre anterior. A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, atingiu 2,5 vezes, redução de 1,2 vez ante o segundo trimestre de 2020.(Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: