Goldman Sachs vê chances de redução de estímulos pelo Federal Reserve em novembro

O banco de investimentos calcula que aumentou de 25% para 45% as chances de que um anúncio formal ocorra no mês .

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Rick Wilking
REUTERS/Rick Wilking

O banco de investimentos calcula que aumentou de 25% para 45% as chances de que um anúncio formal ocorra no mês

Acessibilidade


Economistas do Goldman Sachs elevaram a probabilidade de que o Federal Reserve anuncie o início da redução de suas compras de títulos – chamado de “tapering” – em novembro, prevendo que o banco central norte-americano deverá optar por desacelerar as compras em US$ 15 bilhões na ocasião e nas reuniões que se seguem.

Em nota, o banco de investimentos disse que aumentou de 25% para 45% as chances de que um anúncio formal da redução de estímulos ocorra no mês de novembro e reduziu de 55% para 35% as chances disso acontecer em dezembro.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Conforme o banco, o ritmo total da redução gradual de US$ 15 bilhões por reunião provavelmente seria dividido entre US$ 10 bilhões em títulos do Tesouro e US$ 5 bilhões em títulos lastreados em hipotecas.

“Um anúncio em novembro junto com um ritmo (de redução) de US$ 15 bilhões por reunião significaria que o Fomc fará a redução final na sua reunião de setembro de 2022”, disseram analistas do Goldman Sachs em nota datada de 18 de agosto, referindo-se ao Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O momento e o ritmo da redução de estímulos pelo Fed é um foco importante para os mercados. Recentemente, dados robustos de emprego nos EUA impulsionaram as conversas sobre a possibilidade de uma redução na compra de ativos em breve.

Mas com a variante Delta da Covid-19 se espalhando pelos Estados Unidos e as interrupções na cadeia de suprimentos persistindo, muitos economistas estão reduzindo suas perspectivas de crescimento. E uma perspectiva ainda incerta significa que o Fed pode preferir errar por excesso de cautela em seu cronograma de “tapering”. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: