Ibovespa abre em alta após dados positivos de emprego nos EUA

O dólar avança ante o real e é negociado a R$ 5,27 na venda.

Iasmin Paiva
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta na abertura do pregão de hoje (6), ganhando 0,39%, a 122.104 pontos por volta das 10h11 da manhã, horário de Brasília. O mercado global reage ao relatório de emprego dos Estados Unidos, que anunciou a criação de 943 mil empregos em julho, acima das expectativas e das 870 mil vagas novas no mês anterior. Enquanto isso, no mercado doméstico a atenção se volta para a atuação dos Três Poderes sobre os gastos do governo e as privatizações.

Em Brasília, o pagamento dos precatórios em 2022 sofre mais algumas alterações antes de ser encaminhada para a Câmara. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), levantou a possibilidade de que esses pagamentos sejam retirados do teto de gastos e equiparados a uma despesa de capital financeira. O Valor Econômico calcula que essa mudança permitirá a abertura de aproximadamente R$ 19 bilhões.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, argumenta que todo tipo de contorno ao teto de gastos, “é um retrocesso no arcabouço fiscal brasileiro, que gerou tantos benefícios em passado recente. A dicotomia entre determinadas alíneas do orçamento e os precatórios é inexistente”, conclui.

Além disso, a Câmara aprovou ontem (5) um projeto que abre espaço para a privatização dos Correios. O texto, que prevê atuação de empresas privadas no setor de serviços postais, agora segue para o Senado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O dólar avança em relação ao real nesta manhã, enquanto os operadores reagem aos dados positivos de emprego nos EUA. Perto das 10h11, o dólar era negociado em alta de 1,15%, a R$ 5,2735.

Os índices futuros do mercado dos Estados Unidos apontam para abertura alta, após a divulgação do relatório do payroll nos EUA. A taxa de desemprego no país caiu a 5,4% em julho, ante 5,9% no mês anterior, abaixo dos 5,7% esperados. O resultado é um fator importante para o Federal Reserve avaliar sua política monetária e de estímulos.

Pablo Spyer, economista-sócio da XP Investimentos, avalia que o resultado acima de 840 mil empregos “pode amenizar as preocupações em torno da desaceleração econômica na América, desde que não sejam criados tantos empregos que assuste os investidores de que o Fed vai parar de injetar dinheiro na economia norte-americana”.

O mercado ainda ficará atento aos desdobramentos do debate em torno do pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão de Joe Biden no Senado norte-americano, que deve ser finalizado neste fim de semana. O documento ainda precisa resolver alguns impasses na Casa e, em seguida, as medidas passarão pela Câmara dos Deputados, onde os democratas têm uma pequena maioria.

As Bolsas europeias são negociadas em leve alta, enquanto os investidores monitoram os lucros de resultados corporativos e a disseminação global da variante Delta da Covid-19. O Stoxx 600 avança 0,12%; o CAC 40 valoriza 0,46% na França; na Itália, o FTSE MIB é negociado em alta de 1,00%; no Reino Unido, o FTSE 100 avança 0,11%. Enquanto na Alemanha, o DAX ganha 0,19%, depois que a Agência Federal de Estatísticas do país informou que a produção caiu 1,3% em junho ante mês anterior. Pesquisa da Reuters apontava alta de 0,5%.

Na Ásia, os mercados fecharam o dia e a semana mistos, com investidores em compasso de espera pelo lançamento do relatório de empregos nos Estados Unidos. O Hang Seng, de Hong Kong, caiu 0,10%; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou em baixa de 0,39%; e na China, o índice Shanghai, recuou 0,24%; enquanto no Japão, o índice Nikkei valorizou 0,33%.

Os contratos futuros de aço e minério de ferro negociados na China encerraram a semana com perdas, diante da fraca demanda sazonal e de especulações sobre um possível afrouxamento dos controles de produção no país asiático. A referência do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian, para entrega em setembro, fechou em queda de 1,3%, a 895 iuanes (US$ 138,42) por tonelada, acompanhando um forte recuo no preço alvo do minério com 62% de teor de ferro, que despencou para US$ 174,50 por tonelada ontem (5)

Enquanto isso, os preços do petróleo sobem nesta sexta-feira, com os preços sob pressão, já que os principais consumidores impõem restrições às viagens em meio à disseminação da variante delta do coronavírus. Contudo, as tensões crescentes no Oriente Médio, entre Israel e Irã, limitaram a queda nos preços. Por volta das 9h55, o petróleo Brent subia 1,37%, a US$ 72,27, e o WTI estava em US$ 69,97 o barril, alta de 1,27%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: