Ibovespa fecha em leve alta com bancos, mas queda das commodities limita ganhos

Perspectiva de queda da demanda da China por causa da disseminação da variante Delta derrubou preços do petróleo e do minério de ferro.

Diana Lott
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou em alta de 0,17%, a 123.019 pontos, impulsionado pelas companhias do setor frigorífico e bancos. No viés baixista, limitaram os ganhos do índice a queda do petróleo e a entrega pelo Planalto do texto que cria o Auxílio Brasil (programa que substitui o Bolsa Família). Os temores do mercado foram suavizados pelas declarações do ministro da Cidadania, João Roma, que negou qualquer possibilidade de os recursos do programa ficarem fora do teto de gastos.

“O que vemos hoje é o mercado antecipando balanços corporativos, comprando antes do balanço e vendendo após o resultado, sabendo que as empresas vão divulgar bons números”, diz Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos, citando como exemplo as ações da Marfrig (MRFG3), que avançaram 3,66% na sessão – a empresa divulga seus resultados amanhã (10).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Pesaram no Ibovespa a queda das ações da Petrobras e da Vale, ambas afetadas pela perspectiva de a economia chinesa ser afetada pela disseminação da variante Delta da Covid-19 no país asiático.

“Os preços do petróleo estão caindo à medida que uma desaceleração na Ásia atrapalha as perspectivas da demanda”, disse Edward Moya, analista de mercado sênior da OANDA. Os bancos norte-americanos Goldman Sachs, JPMorgan e Morgan Stanley cortaram suas previsões de crescimento da China nesta segunda, após o avanço de exportações desacelerar inesperadamente e diante de preocupações de que a volta do coronavírus possa prejudicar a atividade econômica.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O mesmo risco afetou os preços do minério de ferro. Os contratos futuros da commodity negociados em Dalian e Singapura despencaram, ampliando as perdas da semana passada, pressionados por perspectivas de aumento de oferta e enfraquecimento da demanda chinesa.

A bolsas norte-americanas também reagiram ao cenário da China e fecharam perto da estabilidade, mas ainda em patamares historicamente altos. O Dow Jones encerrou com baixa de 0,30%, a 35.101 pontos. O S&P 500 recuou 0,09%, a 4.432 pontos. E o Nasdaq teve leve alta de 0,16% a 14.860 pontos.

O Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira mostrou que o mercado passou a ver a taxa básica de juros brasileira em 7,25% tanto ao final deste ano, quanto em 2022, após o Banco Central acelerar o ritmo de aperto monetário e indicar que deve repetir a dose devido às pressões inflacionárias. Na semana anterior, especialistas viam a Selic a 7,0% em ambos os anos.

A pesquisa também indicou um aumento do IPCA de 6,88% em 2021 e 3,84% em 2022, ante 6,79% e 3,81%, respectivamente, na semana anterior. A estimativa de crescimento do PIB ficou em 5,30% em 2021 e de 2,05% para 2022.

O dólar subiu 0,19%, negociado a R$ 5,2453 na venda, após uma sessão de muita volatilidade marcada pelos riscos fiscais ligados às propostas do governo federal e por uma aversão a risco no exterior. “A inflação forte nos EUA pode mexer com a cotação do real, já que quando os títulos de renda fixa de dez anos sobem por lá, puxam dinheiro para os EUA, enfraquecendo a moeda brasileira”, diz Costa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: