IGP-10 acelera alta em julho com efeito de geadas e secas, diz FGV

Roosevelt Cassio/Reuters
Roosevelt Cassio/Reuters

Plantação de café atingido por geadas em Varginha (MG)

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) acelerou a alta a 1,18% em agosto, depois de subir 0,18% em julho, com os efeitos das geadas e secas impulsionando os preços de commodities importantes, disse hoje (17) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com esse resultado, o índice acumula agora alta de 32,84% em 12 meses. O dado deste mês ficou levemente acima da expectativa em pesquisa da “Reuters” de avanço de 1,10%.

LEIA TAMBÉM: Cemig tem lucro líquido de R$ 1,94 bilhões no 2º trimestre

Em agosto, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, subiu 1,29%. No mês anterior, houve queda de 0,07%.

“Os efeitos da seca e das geadas estão mais evidentes no resultado do índice ao produtor”, disse em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

Entre os componentes do IPA, o destaque nessa leitura partiu do grupo Matérias-Primas Brutas, que passou a subir 0,55% em agosto, deixando para trás a queda de 1,78% vista no mês anterior. Os itens de destaque, disse Braz, foram as culturas mais afetadas pelo clima, como milho e café.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, acelerou a alta a 0,88% no período, de 0,70% em julho. A inflação da Alimentação ganhou ritmo em agosto, com o grupo subindo 1,13%, após registrar alta de 0,45% no mês passado.

Em agosto houve alta de 0,79% do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), após avanço de 1,37% no período anterior.

VEJA MAIS: Yduqs tem lucro de R$ 116,5 milhões no 2º trimestre

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).