Indústria da zona do euro segue em expansão em julho apesar de escassez de matéria-prima, mostra PMI

A reabertura da economia levou ao aumento da demanda, mas gargalos de oferta elevaram os preços dos insumos

Redação
Compartilhe esta publicação:
Swen Pfoertner/Reuters
Swen Pfoertner/Reuters

Fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha

Acessibilidade


A atividade manufatureira na zona do euro continuou a expandir a um ritmo forte em julho uma vez que a reabertura da economia levou ao aumento da demanda, mas gargalos de oferta elevaram os preços dos insumos, apresentados hoje (2) a Pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI final do IHS Markit para a indústria caiu a 62,8 em julho de uma máxima recorde em junho de 63,4, mas acima da preliminar de 62,6.

LEIA TAMBÉM: Acusações de fraude contra o fundador da Nikola Motor podem ameaçar Elon Musk e seus tuítes

O subíndice de produção caiu a 61,1 de 62,6 em junho. Leitura acima de 50 indica crescimento.

“O fato de o crescimento da indústria da zona do euro ter esfriado ligeiramente em junho após expansão recorde durante o segundo trimestre não deve por si só ser uma grande preocupação, disse Chris Williamson, economista-chefe da IHS Markit.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A escassez de matérias-primas e a fraca disponibilidade de transporte elevou o subíndice de preços de insumos a 89,2, de 88,5, leitura mais elevada desde que a pesquisa começou em junho de 1997. Os preços cobrados por produtos acabados também subiram a uma taxa recorde. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: