Intermédica tem prejuízo no 2º trimestre, com maior demanda por procedimentos eletivos

O prejuízo da empresa no segundo trimestre refletiu a forte alta das despesas com médicos durante a pandemia

Redação
Compartilhe esta publicação:

A empresa de saúde Notre Dame Intermédica teve prejuízo no segundo trimestre, refletindo forte alta das despesas com médicos, que teria sido represados ​​durante os períodos de isolamento para conter uma pandemia.

Acessibilidade


A companhia anunciou na noite de ontem (10) que seu prejuízo entre abril e junho somou R$ 48 milhões, ante lucro de R$ 223,4 milhões um ano antes. Em termos ajustados, a companhia passou de lucro de R$ 303,9 milhões para prejuízo de R$ 9,9 milhões.

LEIA TAMBÉM: Lucro líquido da BR Distribuidora dobra para R$ 382 milhões no 2º trimestre

Embora tenha tido receita líquida 22,7% maior ano a ano, a R$ 3,2 bilhões, a companhia viu a linha contas médicas caixa, seu item mais relevante dos custos de serviços prestados, dar um salto de 56,9%, a R$ 2,64 bilhões, o que aumentou em 18 pontos percentuais a sinistralidade, para 82,7%.

“… há uma tendência cada vez mais presente de retorno gradual dos comportamentos pré-pandemia, que inclui uma pressão pelo retorno de procedimentos médicos de rotina e eletivos que ocorrem simultaneamente aos custos associados aos tratamentos da pandemia do Covid-19, que ainda impõe uma sobrecarga de custo acima em todo o setor “, explicou a empresa no relatório.

Diante disso, o resultado operacional da Notre Dame medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) afetou cerca de R$ 131,6 milhões, queda de 75%. A margem Ebitda ajustada teve um tombo de 16 pontos percentuais, para 4,1%. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: