Produção industrial da zona do euro cai com recuo na produção alemã

O índice do manufatura caiu em mais de 0,3%, especialmente com queda na fabricação de bens de capital.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Wolfgang Rattay/Reuters
Wolfgang Rattay/Reuters

O índice de produção industrial caiu em mais de 0,3% nos 19 países do euro, especialmente com queda no setor de bens de capital

Acessibilidade


A produção industrial da zona do euro caiu em junho enquanto a Alemanha, potência industrial do bloco, perdia ímpeto em meio a gargalos de oferta, mostraram estimativas da UE (União Europeia) divulgadas hoje (12).

A agência de estatísticas da UE, Eurostat, informou que a produção industrial dos 19 países que compartilham o euro caiu 0,3% sobre o mês anterior, leitura acima da queda de 0,2% prevista por economistas consultados pela Reuters.

VEJA TAMBÉM: Indústria do Brasil amplia estoques em julho e tem maior crescimento em 5 meses, mostra PMI

O declínio seguiu-se a uma queda de 1,1% em maio, que a Eurostat revisou para baixo hoje. Anteriormente, a expectativa era de um recuo de 1,0%.

A diminuição na produção deveu-se em grande parte à queda inesperada da produção alemã, que a Eurostat estimou em 1,0% no mês, menor do que o recuo de 1,3% calculado na semana passada pela Agência Federal de Estatísticas do país.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O indicador da zona do euro também foi puxado pela queda de 1,5% na produção de bens de capital, como máquinário, que pelo segundo mês consecutivo foi o setor de pior desempenho da indústria do bloco, possivelmente apontando para uma queda na produção futuramente.

Sobre o mesmo período no ano passado, a produção da zona do euro cresceu 9,7% em junho, enquanto o bloco se recuperava das enormes quedas na produção desencadeadas pela pandemia em 2020.

Mas o aumento foi menor do que o previsto por economistas, que esperavam um avanço de 10,4%, e também menor que a metade da alta de 20,6% registrada no mês de maio. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: