Ultrapar tem lucro ajustado de R$ 290 milhões no 2º trimestre

Resultado, no entanto, ficou negativo em R$ 18 milhões com efeito de uma baixa contábil realizada na rede de farmácias Extrafarma.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Ultrapar divulgou hoje (11) lucro líquido ajustado de R$ 290 milhões, mas incluindo efeito de uma baixa contábil realizada na rede de farmácias Extrafarma, o resultado ficou negativo em R$ 18 milhões.

A companhia afirmou no balanço que baixa contábil na Extrafarma registrada no segundo trimestre foi de R$ 395 milhões, sem efeito caixa. O grupo acertou a venda da rede de farmácias para a Pague Menos em maio, por R$ 700 milhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Analistas, em média, esperavam que a Ultrapar apurasse lucro ajustado de R$ 329,6 milhões, segundo dados da Refinitiv.

O resultado operacional recorrente medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 898 milhões no trimestre, ante expectativa média do mercado de R$ 970 milhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O valor recorrente, que não inclui o impairment da Extrafarma, representa um crescimento de 50% sobre o segundo trimestre do ano passado. Incluindo o efeito, o Ebitda cai para R$ 503 milhões, recuo de 18% ano a ano.

A Ultrapar, dona da rede de postos de combustíveis Ipiranga, teve faturamento líquido de R$ 28,5 bilhões no segundo trimestre, avanço anual de 80% e de 19% sobre os três primeiros meses deste ano.

Segundo a companhia, todos os negócios apresentaram maior faturamento entre abril e o fim de junho, com destaque para a Ipiranga que, incentivada por menos restrições à circulação, viu o volume total vendido subir 21% na base anual. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: