Carvão e coque atingem altas recordes na China com crise de oferta

O carvão metalúrgico mais negociado encerrou as negociações do dia com alta de 7,2%, a US$ 472 a tonelada.

Redação
Compartilhe esta publicação:
William Hong/Reuters
William Hong/Reuters

Mina de carvão em Yuncheng, China

Acessibilidade


Os contratos futuros de carvão metalúrgico e coque na China atingiram altas recordes hoje (9), impulsionados por temores de uma prolongada restrição no fornecimento de materiais siderúrgicos no país, maior produtor de aço do mundo.

O carvão metalúrgico mais negociado de janeiro na Bolsa de Commodity de Dalian encerrou as negociações do dia com alta de 7,2%, a 3.049,50 iuanes (US$ 472) a tonelada, após atingir o valor máximo de 3.071,50 iuanes.

LEIA TAMBÉM: Investidores apostam em escolha “estável” de renomeação de Powell como chair do Fed

O coque subiu 5,3% para 3.787,50 iuanes por tonelada, subindo pela nona sessão consecutiva, mas abaixo do pico de 3.838,50 iuanes.

Uma crise no fornecimento de carvão que a China esperava diminuir em julho continuou a afetar seu gigantesco setor de aço, com as minas locais enfrentando restrições ambientais e de segurança mais severas. As importações, por sua vez, foram prejudicadas pela proibição do carvão australiano e pelas medidas para deter a Covid-19, o que dificultou os embarques da Mongólia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O contrato mais ativo de minério de ferro de Dalian em janeiro, caiu 2,7%, para 730 iuanes (US$ 113) a tonelada, após atingir 717,50 iuanes, o mais fraco desde 4 de fevereiro. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: