Empresários mostram cautela e confiança de serviços cai em setembro, mostra FGV

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Paulo Whitaker
REUTERS/Paulo Whitaker

O Índice de Confiança de Serviços teve recuo de 2,0 pontos em setembro frente a agosto, chegando a 97,3 pontos

Acessibilidade


A confiança do setor de serviços do Brasil mostrou queda em setembro e interrompeu cinco meses de altas devido à cautela dos empresários, segundo dados da FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgados hoje (29).

O ICS (Índice de Confiança de Serviços) teve no mês recuo de 2,0 pontos em relação a agosto, chegando a 97,3 pontos.

“O resultado ainda não parece sugerir uma reversão da tendência positiva, mas demonstra que os empresários ligaram o sinal de alerta”, explicou Rodolpho Tobler, economista da FGV Ibre, em nota com os dados.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Segundo a FGV, o resultado do mês foi mais influenciado pela revisão das expectativas em relação aos próximos meses, mas também foi afetado pela percepção de ligeira piora na situação corrente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em setembro, o ISA-S (Índice de Situação Atual), indicador da percepção sobre o momento presente do setor de serviços, recuou 0,7 ponto e chegou a 92,3 pontos.

Enquanto isso, o IE-S (Índice de Expectativas), que reflete as perspectivas para os próximos meses, teve queda de 3,4 pontos, para 102,3. Tanto o ISA-S quanto o IE-S interromperam série de cinco altas consecutivas.

“Mesmo com resultado negativo, o nível de confiança do setor de serviços continua acima do nível pré-pandemia, mas alguns fatores podem frear o ritmo de recuperação, como a recente queda da confiança do consumidor, lenta recuperação do mercado de trabalho, inflação e incertezas relacionadas ao controle da pandemia”, alertou Tobler.

Em julho, dados do IBGE mostraram que o volume de serviços cresceu 1,1% em relação ao mês anterior, quarta alta seguida e iniciando o terceiro trimestre no patamar mais elevado em cinco anos. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: