Expectativa de inflação ao consumidor dos EUA vai a máxima em 8 anos, diz Fed de NY

As expectativas de inflação para os próximos três anos avançaram para uma mediana de 4,0%.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Mark Makela/Reuters
Mark Makela/Reuters

Consumidores carregam sacolas de mercadorias compradas no King of Prussia Mall, o maior espaço comercial de varejo dos Estados Unidos, em King of Prussia, Pensilvânia, EUA

Acessibilidade


As expectativas dos consumidores norte-americanos sobre a variação da inflação durante o próximo ano e os próximos três anos subiram no mês passado para seus níveis mais altos desde 2013, de acordo com uma pesquisa divulgada hoje (13) pelo Federal Reserve de Nova York.

As expectativas de inflação para o próximo ano foram elevadas pelo décimo mês consecutivo, para uma mediana de 5,2% em agosto, de acordo com a pesquisa mensal de expectativas do consumidor.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As expectativas de inflação para os próximos três anos avançaram para uma mediana de 4,0%. Ambas as métricas estão em seus patamares mais altos já registrados na pesquisa, lançada em 2013.

Autoridades do banco central dos EUA estão observando atentamente as expectativas de inflação à medida que tentam avaliar se as pressões sobre os preços desencadeadas pela pandemia de coronavírus arrefecerão ou terão efeitos mais duradouros na economia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Alguns formuladores de política monetária dizem que o fim antecipado das grandes compras de ativos que o Fed adotou no ano passado para apoiar os mercados e a economia dará às autoridades mais opções para responder no futuro se a inflação durar mais do que o previsto. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: