Minério de ferro despenca e IGP-M cai em setembro, diz FGV

O indicador registrou queda de 0,64% em setembro, após avanço de 0,66% no mês anterior.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

O indicador registrou queda de 0,64% em setembro, após avanço de 0,66% no mês anterior

Acessibilidade


O IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) registrou queda de 0,64% em setembro, após avanço de 0,66% no mês anterior, com os preços do minério de ferro voltando a despencar.

O resultado divulgado hoje (29) pela FGV (Fundação Getulio Vargas) levou o IGP-M a acumular em 12 meses alta de 24,86%, e a queda no mês foi mais intensa do que a de 0,42% esperada em pesquisa da Reuters.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, caiu 1,21% em setembro, contra alta de 0,66% no mês anterior.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Essa leitura foi reflexo da deflação de 5,74% das Matérias-Primas Brutas neste mês, ante recuo de 1,64% em agosto, com os preços do minério de ferro acelerando suas perdas a 21,74%, de 15,32% no mês anterior.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Foi a principal contribuição para o resultado do índice” geral, disse André Braz, coordenador dos índices de preços, sobre o comportamento da commodity. “Sem o minério de ferro, o IGP-M teria registrado alta de 2,37% em agosto e de 1,21% em setembro.”

No varejo, a pressão ganhou força, com o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), que tem peso de 30% no índice geral, acelerando a alta a 1,19% em setembro, de 0,75% em agosto.

A principal contribuição para esse resultado partiu do grupo Habitação, que acelerou a alta a 2,00% neste mês, ante 1,05%. Os preços da tarifa de eletricidade residencial avançaram 5,75% em setembro, contra taxa de 3,26% em agosto.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), por sua vez, teve alta de 0,56% no período, mesma taxa registrada em agosto.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: