Presidente do Fed diz ser "frustrante" que gargalos de oferta não estejam melhorando

Jerome Powell também comentou que alta inflação e desemprego são temas urgentes.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Kevin Dietsch/Pool/Reuters
Kevin Dietsch/Pool/Reuters

Jerome Powell também comentou que tensão entre alta inflação e desemprego é tema urgente para o Fed

Acessibilidade


O chair do Fed (Federal Reserve), Jerome Powell, afirmou hoje (29) que é “frustrante” que os gargalos nas cadeias de oferta não estejam melhorando nesse ponto da recuperação diante da recessão causada pelo coronavírus, e parece que eles irão persistir no próximo ano e continuar a elevar a inflação.

Powell, falando em evento virtual do BCE (Banco Central Europeu) junto aos presidentes dos bancos centrais da zona do euro, Japão e Reino Unido, também afirmou que a pandemia continua sendo fator decisivo para o curso da política monetária dos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM: Bancos centrais analisam risco de inflação com início de mudança em política monetária da pandemia

“É frustrante reconhecer que vacinar as pessoas e controlar a Delta 18 meses depois ainda continua sendo a política econômica mais importante que temos”, disse Powell em resposta a uma pergunta sobre as perspectivas econômicas dos Estados Unidos. “E também é frustrante ver os gargalos e os problemas da cadeia de oferta não melhorarem e, na verdade, na margem, aparentemente ficando um pouco piores.”

“Vemos isso provavelmente continuando no próximo ano e mantendo a inflação alta por mais tempo do que havíamos pensado”, disse Powell. “Mas, em última análise, a perspectiva para o próximo ano entre meus colegas e eu no Fed é de um ano bastante forte, com crescimento bem acima da tendência e o desemprego atingindo níveis significativamente mais baixos do que os de agora.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em sua reunião deste mês, as autoridades do Fed rebaixaram suas previsões para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA neste ano, mas elevaram as estimativas para 2022, refletindo expectativas de que a atividade deste ano será prejudicada por problemas de oferta e que essas restrições desaparecerão em 2022.

TENSÃO ENTRE INFLAÇÃO E DESEMPREGO

Resolver a “tensão” entre a inflação alta e o desemprego ainda elevado é a questão mais urgente que o Federal Reserve enfrenta no momento, disse  Powell, um reconhecimento direto de que os dois principais objetivos do banco central norte-americano estão em possível conflito.

“Essa não é a situação que temos enfrentado há muito tempo e é uma situação em que existe tensão entre nossos dois objetivos … A inflação está alta e bem acima da meta e ainda assim parece haver atraso no mercado de trabalho”, disse Powell durante fórum do BCE.

“Passar por isso nos próximos dois anos é a maior e mais importante prioridade e será muito desafiador”, com a esperança sendo depositada por ora na “hipótese” de que a inflação vai arrefecer por conta própria, completou. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: