Respiro da Evergrande e alta no minério de ferro puxam mineradoras, siderúrgicas e Ibovespa para cima

Usiminas sobe acima dos 8% na manhã desta quarta-feira, seguido pelos papéis da Gerdau, que avançam mais de 7%.

Artur Nicoceli
Compartilhe esta publicação:
Yuichiro Chino/GettyImages
Yuichiro Chino/GettyImages

Aumento do apetite por risco faz setores defensivos, como o de saúde, registrarem baixa nesta sessão

Acessibilidade


A recuperação dos preços das commodities impulsiona o Ibovespa na manhã de hoje (22), que opera em alta principalmente por causa das ações de siderúrgicas e mineradoras. O anúncio de que a gigante chinesa Evergrande irá honrar o pagamento de juros de um título doméstico que vence nesta semana impactou o setor, que vinha registrando quedas nos últimos pregões.

“[A notícia] mexeu com a cotação dos produtos básicos, amenizando o cenário de risco, e puxando esses papéis para cima”, afirma Ilan Arbert, analista de research da Ativa Investimentos. Às 12h12, horário de Brasília, a Usiminas (USIM5) protagonizava a maior alta, subindo 8,49%, a R$ 15,21, seguida pelos dois papéis da Gerdau (GGBR4 e GOAU4), com variação positiva de 7,16% e 6,87%, a R$ 11,98 e a R$ 25,81, respectivamente.

Os contratos futuros do minério de ferro na Ásia se recuperaram nesta quarta-feira, com o contrato de referência de Dalian saltando de uma mínima de 10 meses. No entanto, ainda há dúvidas entre os investidores se os ganhos podem ser sustentados diante do colapso da demanda da China e da perspectiva de aumento da oferta. A commodity fechou com avanço de 3,7%, a US$ 103,41 a tonelada.

“A alta do minério de ferro impulsionou um forte aumento nas ações da Vale (VALE3) e de outros papéis do setor de mineração e siderurgia, que também puxaram o Ibovespa para cima”, afirma Paloma Brum, analista da Toro Investimentos. A mineradora avançava 3,90%, a R$ 87,40, às 12h15, horário de Brasília.

Bruno Madruga, sócio e head de renda variável da Monte Bravo, explica que a alta nas ações da Vale também está relacionada à valorização do preço do minério de ferro no porto de Qingdao, que subia 16,8%, a US$ 108,70 por tonelada, às 10h25, horário de Brasília. “A mineradora precifica suas vendas nesse porto, e com a alta no preço da commodity, seu produto sobe de valor”, diz ele.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Segundo Brum, a Bolsa se beneficia ainda da recuperação dos mercados internacionais. “O Ibovespa está acompanhando os principais índices globais de ações num movimento de alívio da pressão proveniente do caso da Evergrande”, afirma. O índice registrava alta de 1,89%, aos 112.329 pontos, às 12h15, horário de Brasília.

As ações da Rede D’Or (RDOR3) estão entre as maiores baixas da sessão, com recuo de 1,50%, a R$ 68,28, no mesmo horário. Madruga explica que a queda ocorre porque papéis do setor de saúde são conhecidos como ativos defensivos. “Hoje é um dia em que os investidores estão adeptos ao risco, tanto no mercado interno quanto no global, o que reduz a posição acionária nessas empresas e faz com que as ações operem em baixa”.

No mesmo horário, a Via (VIIA3) recuava 2,39%, a R$ 8,57, e a Americanas (AMER3) cedia 1,71%, a R$ 36,18. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: