Alta umidade do solo favorece plantio de soja no Brasil em outubro

Os volumes de chuva estão estimados entre 25 e 120 milímetros

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Canavial em Sertãozinho (SP)

Acessibilidade


A umidade do solo deverá ficar acima da média nas regiões produtoras de soja no país até o fim de outubro, condição benéfica para a semeadura do grão, informou hoje (15) a empresa de análises Geosys Brasil, com base em sensoriamento remoto e uso de dados de satélites.

Os volumes de chuva estão estimados entre 25 e 120 milímetros nestas áreas nos próximos 10 dias, conforme previsão com os modelos europeu (ECMWF) e americano (GFS).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“No Centro-Oeste, os Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul receberam bons volumes de chuva na primeira quinzena do mês, sendo 27,2mm (MT) e 54mm (MS), elevando a umidade do solo e favorecendo as condições para o plantio da soja”, disse a Geosys em nota. Entre os dias 17 e 27, os dois Estados têm previsão de chuvas diárias.

Já em Goiás, a Geosys afirmou que a chuva foi mais dispersa na primeira quinzena do mês, mas suficiente para aumentar a umidade do solo e impulsionar os trabalhos nas lavouras. Para as próximas duas semanas, estão previstos volumes de chuva de 95,18 mm no Estado, superior à média de 54,15mm.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No Sul do país, o Paraná teve precipitações excessivas na primeira quinzena do mês, que limitaram a semeadura da soja.

“Mas, o cenário deve mudar de 19 a 27 de outubro, quando a chuva acumulada ficará abaixo de 2mm, dando condições para a colheita do trigo e o plantio da soja. Mesmo com volume baixo de chuva, a umidade do solo deverá se manter em nível satisfatório.”

TRIGO

Segundo a Geosys, as fortes chuvas no Paraná podem ter afetado a qualidade do trigo ainda não colhido, principalmente na região oeste do Estado, que concentrou precipitações de 174,3mm.

No Rio Grande do Sul, por sua vez, a umidade do solo e o NDVI (índice de vigor vegetativo) apontam boa produtividade para as lavouras do cereal. “Nos próximos dias a chuva ficará abaixo da média, mas a umidade do solo se mantém boa. A colheita do trigo deve ocorrer tranquilamente”, afirmou a empresa. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação:

Temas