Bilionários brasileiros perdem mais de R$ 50 bilhões em setembro

Perdas estão relacionadas com o movimento das empresas na Bolsa de Valores; os papéis da Magazine Luiza, de Luiza Trajano, caíram 18,77% em setembro, por exemplo.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:
Arte / Forbes
Arte / Forbes

Eduardo Saverin, Jorge Paulo Lemann e Luiza Helena Trajano são alguns dos nomes do ranking de bilionários da Forbes que tiveram perdas em setembro

Acessibilidade


As altas e quedas das ações negociadas na Bolsa de Valores no mês de setembro movimentaram os patrimônios dos brasileiros que estão na lista de bilionários da Forbes. Entre as 20 pessoas mais ricas do Brasil, 16 perderam juntas R$ 50,68 bilhões (US$ 9,3 bilhões, de acordo com a cotação do dólar no dia 30 de setembro).

O grupo, no entanto, ainda conta com patrimônio de US$ 117,4 bilhões, ou R$ 639,83 bilhões, segundo estimativa da Forbes.

LEIA MAIS: O impacto da inflação de dois dígitos

No topo da lista está Eduardo Saverin, o mais rico entre os brasileiros — e também o que mais perdeu no mês. Com fortuna avaliada em US$ 18,7 bilhões no fechamento do dia 30 de setembro, o patrimônio de Saverin ficou US$ 2,1 bilhões menor.

Aos 39 anos, o empresário vive em Singapura, onde trabalha em sua empresa B Capital, de fundos de investimentos multimercados. Porém, a maior parte de sua fortuna vem do Facebook, que cofundou em 2004 ao lado de Mark Zuckerberg, seu colega de classe na Universidade Harvard. Em setembro, as ações da companhia caíram 5,83%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O segundo lugar da lista, o empresário Jorge Paulo Lemann, também viu seu patrimônio encolher. Aos 82 anos, Lemann é um dos principais acionistas da gigante de bebidas AmBev (ABEV3). No mês de setembro, sua fortuna diminuiu US$ 1 bilhão, deixando-o com patrimônio avaliado em US$ 15,1 bilhões pela Forbes.

Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira, sócios de Lemann em grande parte de seus negócios, incluindo a Ambev, também sofreram redução em suas fortunas, ainda que menos expressivas: cada um perdeu US$ 400 milhões em setembro. Seus patrimônios são estimados atualmente em US$ 11,1 e US$ 8,3 bilhões, respectivamente.

As perdas dos três empreendedores estão relacionadas com a queda de 7,75% das ações da AmBev no último mês. A desvalorização aconteceu apesar de a empresa ter apresentado bons resultados e lucro, e pode estar relacionada ao aumento dos custos e à diminuição da margem dos produtos. As ações do Burguer King (BKBR3) e das Lojas Americanas (LAME4), outros investimentos dos empresários, também caíram, recuando 10,16% e 13,15% no período.

O patrimônio de Luiza Helena Trajano, a única mulher entre os 20 nomes mais ricos do país, também se reduziu em setembro. Os papéis da Magazine Luiza (MGLU3), uma das empresas mais valiosas da Bolsa, caíram em 18,77% no mês. Por ser acionista majoritária da companhia, Trajano perdeu US$ 1,1 bilhão, ficando com fortuna estimada em US$ 4,3 bilhões.

Outros parentes bilionários da empresária, como Gisele Trajano e Fernando Trajano, saíram do ranking em tempo real de bilionários da Forbes. Isso não significa que eles não sejam mais bilionários, e sim que, quando suas fortunas são convertidas no câmbio atual para valores em dólar, elas não alcançam mais a marca de US$ 1 bilhão. Em reais, no entanto, os dois se mantêm entre os superricos brasileiros. No início do mês, eles tinham fortunas avaliadas em US$ 1,2 bilhão cada.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: