Câmara dos EUA dá aprovação final a aumento do teto da dívida e evita calote

Os deputados aprovaram a legislação que eleva temporariamente o teto da dívida do governo a US$ 28,9 trilhões.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Tom Brenner
REUTERS/Tom Brenner

Os deputados aprovaram a legislação que eleva temporariamente o teto da dívida do governo a US$ 28,9 trilhões

Acessibilidade


A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos deu a aprovação final na terça-feira para a legislação que eleva temporariamente o teto da dívida do governo a US$ 28,9 trilhões, empurrando o prazo para um calote apenas até dezembro.

Os democratas, maioria na Casa, aprovaram o aumento do limite da dívida em US$ 480 bilhões por 219 a 206 votos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O presidente Joe Biden deve promulgar a lei antes de 18 de outubro, data que segundo o Departamento do Tesouro ele não conseguiria mais pagar as dívidas do país se não houvesse uma ação no Congresso.

A aprovação na Câmara afastou preocupações de que os EUA dariam calote pela primeira vez, mas a prorrogação temporária abriu espaço para mais disputas entre os partidos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Evitamos temporariamente a crise antes do prazo da próxima semana, mas em dezembro os membros do Congresso precisarão escolher colocar o país à frente do partido e evitar o calote”, disse o democrata Richard Neal.

Os republicanos insistem que os democratas devem assumir toda a responsabilidade pela elevação do limite da dívida porque seu partido quer gastar trilhões de dólares para ampliar programas sociais e lidar com a mudança climática.

Os democratas dizem que o aumento da autoridade de empréstimo é necessário para cobrir os cortes de impostos e programas de gastos durante o governo do ex-presidente Donald Trump, medida a que os republicanos no Congresso deram apoio. (com Reuters)

Compartilhe esta publicação: