Cresce para 13 o número de brasileiros na lista global de Afrodescendentes Mais Influentes

A lista destaca brasileiros como Edu Lyra, criador da ONG Gerando Falcões, Christiane Pinto, gerente de marketing Google Brasil, e Margareth Menezes, cantora e compositora.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Andressa Silva/Divulgação
Andressa Silva/Divulgação

Edu Lyra fundou a Gerando Falcões, em 2011, com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico de territórios de favela a partir da transformação social

Acessibilidade


Anualmente é divulgada pela ONG Global Top 100, que possui apoio da ONU (Organização das Nações Unidas) a lista global de Afrodescendentes Mais Influentes (MIPAD, na sigla em inglês). Neste ano, o Brasil conta com 13 nomes entre os listados. Em 2020, este número era de 10 pessoas.

Edu Lyra, empreendedor social, fundador e CEO da ONG Gerando Falcões, é destaque na categoria de Humanitarismo & Ativismo. A Gerando Falcões é uma ONG brasileira que projeto que promove crianças e adolescentes socialmente por meio de esporte e cultura e também ajuda jovens adultos a entrarem no mercado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A organização tem como objetivo o desenvolvimento econômico em territórios de favela, a partir de serviços de educação e programas de transformação social. Criada em 2011 em São Paulo, a ONG possui trabalhos em 1.545 favelas espalhadas em 23 estados.

A lista MIPAD foi criada para destacar a contribuição positiva feita por pessoas de ascendência africana nos setores público e privado ao redor do mundo. Em 2021, a lista global foi dividida em duas partes: a Creatives 100, com cem profissionais afrodescendentes da economia criativa; e a 100 Under 40, com os cem afrodescendentes mais influentes do mundo abaixo de 40 anos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Edu Lyra faz parte da segunda listagem, ao lado da brasileira Viviane Ferreira, cineasta e presidente SPCine, na mesma categoria. No setor de Negócios & Empreendedorismo, a lista conta com a presença de Christiane Pinto, gerente de marketing do Google Brasil. Já em Mídia & Cultura, foram listados os brasileiros Ad Junior, Head de Marketing da Trace Brasil, Claudia Alves, cofundadora da Fluxa Filmes e Gil Nogueira (Gil do Vigor), economista e participante do Big Brother Brasil 2021.

Personalidades brasileiras afrodescendentes também marcam presença na lista de economia criativa. Entre eles, os artistas Lázaro Ramos e Taís Araújo, a cantora e compositora Margareth Menezes e a jornalista Luciana Barreto.

Nina Silva, diretora da organização no Brasil, afirma que o trabalho da instituição é “reconhecer e conectar grandes personalidades de toda diáspora africana e países africanos para potencializar novos negócios, fomentar oportunidades e abrir diálogos estruturados na criação de soluções sistêmicas para a população negra em todo o mundo”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: