Entenda por que a Tesla vai trocar a progressista Califórnia pelo conservador Texas

Apesar de desavenças políticas, empresa seguirá expandindo na Califórnia, seu maior mercado nos EUA.

Alan Ohnsman
Compartilhe esta publicação:
Visual China Group/GettyImages
Visual China Group/GettyImages

CEO da Tesla, Musk se mudou para Austin, no Texas, em 2020

Acessibilidade


A fabricante de veículos elétricos Tesla, nascida no Vale do Silício no início dos anos 2000, está mudando sua sede para o Texas, onde já vive seu CEO, o bilionário Elon Musk, embora a empresa tenha afirmado que continuará construindo veículos na região da Baía de São Francisco.

Musk fez o anúncio na última quinta-feira (7) à noite, na assembleia anual de acionistas da empresa, realizada na Texas Gigafactory da Tesla, perto de Austin. Ele não especificou o momento preciso do fechamento da atual sede em Palo Alto, embora a mudança não seja totalmente inesperada.

VEJA TAMBÉM: Superando previsões, Tesla vende recorde de 241,3 mil veículos no 3º trimestre

“Para ser claro, continuaremos a expandir nossas atividades na Califórnia”, disse Musk. “A Tesla não está deixando a Califórnia. Nossa intenção é aumentar a produção em Fremont e Nevada em 50%.”

Embora a Califórnia continue sendo o maior mercado da Tesla nos Estados Unidos e onde a maior parte de seus veículos são produzidos, Musk entrou em conflitos com o estado nos últimos anos. Um episódio notável foi quando as autoridades de saúde do condado de Alameda, onde a fábrica de Fremont está localizada, estabeleceram medidas sanitárias e de segurança para proteger trabalhadores durante os primeiros dias da pandemia de Covid-19, em 2020. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Musk, cujas opiniões políticas se tornaram mais libertárias ao longo dos anos, mudou-se para Austin em 2020.

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, dono de um carro Tesla, disse à CNBC em uma entrevista em maio de 2020 que não estava “preocupado com uma saída de Elon” depois que Musk ameaçou deixar o estado pela primeira vez.

Mesmo assim, Musk se irrita cada vez mais com as leis austeras da Califórnia, ao mesmo tempo que se entusiasma com o apelo do Texas, mais barato e menos regulamentado. Em setembro, depois de o estado ter aprovado regras que dificultaram o acesso ao aborto legal, facilitaram a compra de armas e restringiram o direito ao voto, o governador do Texas, Greg Abbott, disse que o empresário bilionário “gosta das políticas sociais” de lá.

“A Califórnia é o berço da inovação, a quinta maior economia do mundo e lar das maiores ideias e empresas do planeta. O sucesso não surge apesar de nossas políticas progressistas, mas por causa delas”, afirmou Erin Mellon, porta-voz do governador da Califórnia.

“Defendemos nossos trabalhadores, a saúde pública e o direito de escolha da mulher. Esses são os valores fundamentais da Califórnia e continuaremos criando mais empregos do que qualquer outro estado, ultrapassando a recuperação econômica do país e mantendo as taxas de casos Covid-19 mais baixas dos EUA”, disse ela.

A mudança da sede da Tesla é a primeira feita por uma montadora desde que a Toyota anunciou planos semelhantes para transferir sua sede na América do Norte do subúrbio de Los Angeles para o subúrbio de Dallas, também no Texas. As startups de veículos elétricos Lucid Motors, Fisker Inc. e Rivian atualmente têm suas sedes na Califórnia.

VEJA TAMBÉM: Startup de carros elétricos Rivian recebe apoio da Ford e prevê entrega de 100 mil vans à Amazon

“Acreditamos que este foi um movimento estratégico inteligente para a Tesla, já que a empresa está construindo agressivamente sua presença em Austin com a produção do Cybertruck e do modelo 3/Y. Musk agora está dobrando sua aposta no estado”, afirma Daniel Ives, analista de ações da Wedbush Securities, em uma nota.

“Embora [a fábrica de] Fremont continue sendo uma peça-chave na produção do Modelo 3, acreditamos que este foi o primeiro passo para que a Tesla torne Austin sua sede global e norte-americana na próxima década. A recente frustração [de Musk] com as autoridades da Califórnia provavelmente acelerou essa mudança.”

Entre os problemas citados por Musk estavam a necessidade da empresa por mais espaço, os altos valores imobiliários na Baía de São Francisco, e longos deslocamentos diários para os trabalhadores.

“Aqui em Austin, nossa fábrica fica a cerca de cinco minutos do aeroporto, a 15 minutos do centro da cidade”, disse Musk. “Vamos criar um paraíso ecológico aqui no Rio Colorado. Vai ser ótimo.” 

 

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: