FMI vê PIB mundial em 2021 pouco abaixo da projeção anterior de 6%

Relatório prevê o retorno das economias avançadas aos níveis pré-pandemia até 2022, mas os países emergentes podem levar muito mais tempo.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Yuri Gripas
REUTERS/Yuri Gripas

Relatório prevê o retorno das economias avançadas aos níveis pré-pandemia até 2022, mas os países emergentes podem levar muito mais tempo

Acessibilidade


O FMI (Fundo Monetário Internacional) prevê que o crescimento econômico mundial em 2021 cairá ligeiramente abaixo de sua projeção de julho de 6%, disse a chefe do FMI, Kristalina Georgieva, hoje (5), citando riscos associados à dívida, inflação e divergências econômicas na esteira da pandemia de Covid-19.

Georgieva explicou que a economia global está se recuperando, mas a pandemia continua limitando a recuperação, sendo o principal obstáculo o “Grande Abismo de Vacinação” que tem sido visto em muitos países com pouco acesso às vacinas contra a Covid-19.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Em um discurso virtual na Bocconi University, na Itália, a chefe do Fundo disse que o relatório Perspectiva Econômica Global atualizado da próxima semana prevê o retorno das economias desenvolvidas aos níveis pré-pandemia de produção econômica até 2022, mas a maioria dos países emergentes e em desenvolvimento levarão “muito mais anos” para se recuperar.

“Enfrentamos uma recuperação global que permanece prejudicada pela pandemia e seu impacto. Não conseguimos seguir em frente de maneira adequada – é como andar com pedras nos sapatos”, afirmou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As pressões inflacionárias, um importante fator de risco, devem diminuir na maioria dos países em 2022, mas continuarão afetando algumas economias emergentes e em desenvolvimento, segundo ela, alertando que um aumento sustentado nas expectativas de inflação poderia causar um rápido aumento nos juros e condições financeiras mais apertadas. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: