Forbes 400: quem são os norte-americanos mais ricos de 2021

Soma das fortunas dos nomes listados pela Forbes chega a US$ 4,5 bilhões, 40% a mais do que em 2020 .

Kerry A. Dolan
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução

Baiju Bhatt, Jeff Bezos, Melinda French Gates e Elon Musk são alguns dos destaques do Forbes 400 deste ano

Acessibilidade


Tem sido um ano terrível para muitos, mas os bons ventos se mantêm para os mais ricos dos Estados Unidos. A fortuna conjunta dos dos 400 norte-americanos que aparecem na 40ª lista anual da Forbes cresceu 40% no último ano e chegou a US$ 4,5 trilhões. Quase todos estão mais ricos do que há um ano. Os 20 primeiros da lista somam impressionantes US$ 1,8 trilhão.

A Forbes utilizou os preços das ações de 3 de setembro de 2021 para calcular o patrimônio líquido dos listados, dia em que os principais índices de ações dos EUA, como o S&P 500, chegaram próximos às suas máximas históricas.

A pessoa mais rica dos EUA, pelo quarto ano consecutivo, é Jeff Bezos. O fundador e, desde julho, presidente do conselho da varejista online tem uma fortuna de US$ 201 bilhões – são US$ 22 bilhões a mais do que no ano passado. Esta é a primeira vez que alguém do ranking Forbes 400 ultrapassou a marca dos US$ 200 bilhões. Logo atrás, na segunda colocação, está Elon Musk, com patrimônio líquido de US$ 190,5 bilhões, quase o triplo do que ele valia em 2020, graças ao grande aumento no preço das ações da sua empresa de carros elétricos, a Tesla.

Mark Zuckerberg ficou em terceiro lugar, graças a um salto de 63% nas ações do Facebook desde o ano passado. Bill Gates chega ao quarto lugar; pela primeira vez, em três décadas, ele não ocupa um dos dois primeiros lugares. O empresário e Melinda French Gates anunciaram, em maio, que se divorciaram após 27 anos; logo depois, ele transferiu para ela cerca de US$ 5,7 bilhões em ações de empresas como a Deere & Co e a Canadian Railway. Melinda French Gates aparece no Forbes 400 pela primeira vez este ano na posição 158, com um patrimônio estimado de US$ 6,3 bilhões.

Ao todo, há 44 recém-chegados ao ranking. O mais rico deles é o empresário de criptomoedas Sam Bankman-Fried, de 29 anos, que possui US$ 22,5 bilhões. Ele é o membro mais jovem da lista e o recém-chegado mais rico da história do Forbes 400. Dois concorrentes, Brian Armstrong e Fred Ehrsam, os fundadores da exchange de criptomoedas Coinbase Global, também entram na lista dos 400 pela primeira vez, após a inesperada abertura de capital de sua empresa em abril.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No total, há sete empreendedores de criptomoedas na lista, seis a mais do que em 2020, incluindo os novos membros (e irmãos gêmeos) Cameron e Tyler Winklevoss. Outro recém-chegado é R.J. Scaringe, fundador da Rivian, uma empresa privada que está trabalhando para produzir picapes elétricas e SUVs e conta com a Amazon e a Ford como investidores.

Em 2021, o patrimônio líquido mínimo necessário para conquistar – ou manter – um lugar entre os 400 mais ricos da Forbes saltou para US$ 2,9 bilhões. Nos três anos anteriores, a marca de corte foi de US$ 2,1 bilhões. Cinquenta e um bilionários caíram do ranking, incluindo Donald Trump e Oprah Winfrey.

O número de mulheres no ranking não mudou no último ano: são 56, incluindo duas, Judy Love e Lynda Resnick, que compartilham suas fortuna com seus cônjuges. Embora Oprah Winfrey e a co-fundadora da Gap, Doris Fisher, tenham saído da lista, o total se manteve inalterado com a entrada de novatas como Melinda French Gates (após seu divórcio de Bill Gates) e Miriam Adelson, herdeira da participação de seu falecido marido, Sheldon Adelson, no império de cassinos Las Vegas Sands.

A mulher mais rica dos Estados Unidos, pelo sétimo ano consecutivo, é a herdeira do Walmart, Alice Walton, que possui cerca de US$ 67,9 bilhões.

Um total de 282 membros do ranking deste ano são bilionários self-made, expressão utilizada pela Forbes para diferenciar as pessoas que começaram uma empresa (como Jeff Bezos, fundando a Amazon) ou foram contratados por alguém para ajudar a construir uma (como Meg Whitman, que foi CEO do Ebay por uma década) daqueles que herdaram suas fortunas. No total, 61 nomes na lista são herdeiros, e outros 57 receberam grandes fortunas familiares e foram responsáveis por fazê-las crescer significativamente.

A Califórnia tem mais membros do Forbes 400 do que qualquer outro estado norte-americano – tem sido assim há pelo menos 20 anos –, embora haja menos deles agora: 89 vivem no Golden State, contra 100 na lista do ano passado. Alguns, como Elon Musk e Larry Ellison, mudaram-se de estado; outros, como Gordon Getty, Evan Williams (cofundador do Twitter), e Travis Kalanick (cofundador do Uber), ficaram de fora do ranking. O estado de Nova York é o segundo que mais aparece na lista, com 67 nomes, seguido por Texas, com 37, e Flórida, com 36.

O bilionário mais velho é Ted Lerner, que fará 96 anos em meados de outubro. Outros dois integrantes da lista estão na casa dos 95 anos: Alice Schwartz e David Gottesman farão 96 anos em 2022. Além do recém-chegado Sam Bankman-Fried, de 29 anos, outros 14 nomes têm menos de 40 anos.

O que não aumentou muito? A generosidade dos norte-americanos que aparecem no Forbes 400. O número de bilionários que doaram mais de 20% de seu patrimônio líquido caiu de dez para oito, enquanto o daqueles que doaram menos de 1% de sua riqueza aumentou de 127 para 156.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: