Guedes defende aceleração de alta de juros diante de piora fiscal

Ministro disse que permanece no cargo e tem a confiança do presidente.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Bruno Domingos/Reuters
Bruno Domingos/Reuters

Moedas de reais

Acessibilidade


O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a aceleração do aperto monetário, destacando que, em meio à piora do cenário fiscal, o Banco Central tem que ficar de olho na inflação e “não pode ficar atrás da curva”.

“Quando eu saí para ir aos Estados Unidos, o fiscal estava super arrumado. Se a inflação está subindo, vamos ficar na frente da curva, vamos correr atrás”, disse o ministro hoje (22).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Só que está subindo no mundo inteiro. Nos EUA era 0% foi para 5%, na Alemanha era 0% foi para 5%, no Brasil era 4% foi para 9%, era 5% foi para 10%”, emendou.

“Então cada um tem que fazer o seu trabalho. Se o fiscal piorou um pouco – eu voltei e o fiscal piorou um pouco -, então tem que correr um pouquinho mais com o juro também”, concluiu ele.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As declarações de Guedes foram dadas em entrevista coletiva no prédio do Ministério da Economia, em Brasília, após ter recebido a visita do presidente Jair Bolsonaro, diante de rumores de que o ministro poderia deixar o cargo.

“Não pedi demissão em nenhum momento”, frisou ele.

Guedes disse que permanece no cargo e tem a confiança do presidente, negando também que as medidas anunciadas para absorver o Auxílio Brasil e uma ajuda aos caminhoneiros sejam um descompromisso com a responsabilidade fiscal. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: