Ibovespa abre em queda em dia de atenção a definições fiscais

O dólar avança sobre o real diante de incertezas domésticas.

Iasmin Paiva
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda na abertura do pregão de hoje (19), com recuo de 1,39%, a 112.842 pontos, às 10h10, horário de Brasília. Os investidores domésticos operam atentos às decisões fiscais em Brasília, que exigem uma solução urgente diante da aproximação do fim de 2021. Enquanto no exterior, o otimismo em torno dos resultados operacionais positivos de grandes empresas pelo mundo ofuscou as preocupações com o avanço da inflação global.

O foco de Brasília é a discussão em torno dos programas de transferência de renda do governo, diante do fim do Auxílio Emergencial, que acontece em 13 dias. Segundo o jornal O Estado de São Paulo na noite de ontem (18), haveria uma nova proposta de pagamento ganhando força no governo, a qual conta com R$ 400 ao mês até o fim de 2022, parte viabilizado dentro do teto de gastos, mediante a aprovação da PEC dos Precatórios, e outra parte fora do teto.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O mercado aguarda a votação da PEC dos Precatórios em comissão especial da Câmara ainda hoje. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse em entrevista à Veja que não se pode priorizar a responsabilidade fiscal e o respeito ao teto de gastos em detrimento das necessidades da população mais vulnerável.

Júlia Aquino, especialista em investimentos da Rico, avalia que essas movimentações podem ser um sinal de que os políticos querem estender o auxílio ao longo de 2022. “A equipe econômica, porém, insiste que os programas sociais para o próximo ano devem ser todos incluídos no teto, já que os efeitos da pandemia estão se reduzindo.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Conforme operadores se voltavam para a cena doméstica, que inclui incertezas sobre o teto de gastos e a PEC dos precatórios, em dia de leilão de dólar à vista pelo Banco Central, o dólar opera em alta frente ao real nesta terça-feira. Às 10h10, a divisa avançava 1,39%, a R$ 5,5568.

Nos mercados globais, Filipe Villegas, estrategista de ações da Genial Investimentos, avalia que os ativos de risco estão operando com otimismo nas principais economias do mundo nesta manhã, decorrente de uma melhora na dinâmica dos mercados de capitais desde a metade da última semana.

Apesar disso, ele reforça a preocupação dos investidores com a inflação. “A inflação continua sendo um tema que merece atenção e acompanhamento redobrado nos próximos meses, enquanto a crise energética não parece ter sido totalmente equacionada e solucionada ao redor do mundo.”

Os índices futuros das Bolsas dos Estados Unidos indicam abertura com alta, diante do otimismo em torno dos resultados operacionais referentes ao terceiro trimestre. Nesta terça-feira, os investidores norte-americanos aguardam dados da Johnson & Johnson, United Airlines, Netflix e Procter & Gamble.

As ações europeias operam com leves avanços, também influenciadas pelos balanços financeiros norte-americanos, além de reagir aos resultados das empresas da região. Os ganhos europeus foram mobilizados pela Danone, a Kering, a Vinci e a Deutsche Boerse.

O Stoxx 600 opera em alta de 0,15%; na Alemanha, o DAX sobe 0,15%; enquanto o CAC 40 desvaloriza 0,09% na França; na Itália, o FTSE MIB é negociado em alta de 0,23%; enquanto o FTSE 100 avança 0,01% no Reino Unido.

Já os mercados asiáticos fecharam majoritariamente no azul diante das altas nas ações de tecnologia, como a Alibaba, a Meituan e o Softbank Group. O Hang Seng, de Hong Kong, subiu 1,49%; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou com queda de 0,08%; enquanto no Japão, o índice Nikkei valorizou 0,65%; e na China, o índice Shanghai, avançou 0,70%.

No mercado de commodities, os contratos futuros do minério de ferro de referência na Bolsa de Commodities de Dalian, na China, se recuperaram na terça-feira após perdas em quatro sessões consecutivas. O contrato de minério de ferro mais negociado na bolsa de Dalian, para entrega em janeiro, fechou em alta de 0,1%, a 707 iuanes (US$ 110,37) por tonelada.

Os preços do petróleo operam em alta nesta terça-feira, com a redução da oferta de gás natural, eletricidade e carvão em todo o mundo, enquanto a queda das temperaturas na China reacendeu as preocupações sobre se o maior consumidor de energia do mundo pode atender à demanda doméstica por aquecimento. Por volta das 9h45, o petróleo Brent subia 0,37%, a US$ 84,64 o barril, enquanto o WTI avançava 0,55%, a US$ 82,14 o barril. (com Reuters)

Compartilhe esta publicação: