Lojas Americanas sobe mais de 25% após anúncio de possível fusão; Getnet estreia em alta

Gigante varejista estuda reestruturação entre Lojas Americanas e Americanas antes de listagem em Wall Street

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:
boonchai wedmakawand / Getty Images
boonchai wedmakawand / Getty Images

A Getnet registrou alta de 88,35%, a R$ 8,89; a empresa entrou na Bolsa de Valores após uma cisão com o Santander, com cada papel do banco dando direito a 0,25 ação da companhia

Acessibilidade


A estreia das ações da Getnet (GETT11) e o anúncio da reestruturação societária das Lojas Americanas movimentam o mercado nesta segunda-feira, com o Ibovespa encolhendo 0,39%, a 114.205,61 pontos, às 13h29 de Brasília.

A Getnet tinha forte alta de 88,35%, a R$ 8,89, no mesmo horário. A empresa entrou na Bolsa de Valores após uma cisão com o Santander, com cada papel do banco dando direito a 0,25 ação da companhia, afirma Felipe Vella, analista da Ativa Investimentos. “Nossa expectativa para a Getnet continua positiva, apesar de o papel já ter entregado alta no primeiro dia de listagem”, diz ele.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O anúncio de que as empresas Lojas Americanas (LAME3 e LAME4) e Americanas (AMER3) avaliam reorganização societária na B3 e no Novo Mercado antes da listagem internacional do grupo no Nasdaq também mexeu com a Bolsa brasileira. Às 13h29, os papéis LAME4 e LAME3 cresciam 18,27% e 25,60%, respectivamente.

Em nota a clientes, o Bradesco BBI avaliou que a fusão melhora a governança por deixar apenas uma classe de ações e simplifica a estrutura, já que a Lojas Americanas (AMER3) provavelmente será extinta como holding.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

João Beck, economista e sócio da BRA, explica que a valorização ocorre por causa da expectativa de que o “desconto de holding” deixe de existir. Esse efeito, bastante comum, ocorre quando há duas empresas negociadas na Bolsa e uma é dona da outra, como é o caso das Americanas (AMER3) e Lojas Americanas (LAME3 e LAME4). “Uma dessas ações, geralmente a da holding, tem um desconto em relação às outras empresas do grupo negociadas na Bolsa. Então, ao unir as duas empresas, espera-se que esse desconto vá embora”, diz.

Entre os destaques negativos desta manhã está a Eztec (EZTC3), cujos dados operacionais decepcionantes davam força à realização de lucros. As ações da companhia recuavam 4,16% às 13h30 de Brasília.

A construtora anunciou na noite de sexta-feira (15) que as vendas no terceiro trimestre foram de R$ 255 milhões, queda de 23,6% na comparação ano a ano. As ações da Cyrela (CYRE3), do mesmo setor, sofreram o impacto da divulgação e recuavam 1,27% no mesmo horário.

“O mercado já tem expectativa baixa em relação às construtoras, por conta das altas recorrentes das taxas de juros”, diz Beck. “A Eztec divulgou balanço com vendas ainda abaixo de uma expectativa já ruim.”

Companhias de commodities metálicas também figuram entre as principais perdas do Ibovespa neste pregão. O crescimento econômico da China, que veio abaixo das expectativas, impactou o setor, e levou as ações de CSN (CSNA3), Usiminas (USIM5) e Vale (VALE3) a caírem 3,95%, 3,62% e 1,74, respectivamente, às 13h30 de Brasília.

Já a Petrobras (PETR4) cedia 0,7% após um fim de semana em que entidades de caminhoneiros voltaram a ameaçar uma greve nacional em protesto contra os preços dos combustíveis.

Compartilhe esta publicação: