BRF tem prejuízo de R$ 277,5 milhões no trimestre

A processadora de carnes diz ter tido alta de 28,5% no custo dos produtos vendidos, com a pressão inflacionária nos preços dos alimentos e dos combustíveis.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A processadora de frangos e suínos BRF registrou ontem (1o) prejuízo líquido no terceiro trimestre, citando a pressão inflacionária de preços dos alimentos e dos combustíveis que aumentaram os custos e dificultaram seu desempenho no geral.

A empresa perdeu R$ 277,5 milhões no período, abaixo da média das projeções de analistas que previam ganho de R$ 105,25 milhões, de acordo com balanço financeiro.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A BRF disse que o custo geral dos produtos vendidos aumentou 28,5% no trimestre. Mesmo assim, conseguiu elevar a receita líquida em quase 25%, para R$ 12,4 bilhões, ao repassar parte dos custos mais elevados aos preços de seus produtos.

O volume de vendas ficou estável no Brasil em 577 mil toneladas, e aumentou 7,5% para 496 mil toneladas no segmento internacional, mas as margens brutas para este último segmento caíram de 21,4% para 18%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A BRF, maior exportadora mundial de frango, classificou as perspectivas do mercado como “desafiadoras”.

No entanto, o negócio halal da BRF, que vende alimentos produzidos de acordo com as exigências religiosas muçulmanas, apresentou ligeiro aumento nas margens brutas para 26%, impulsionado pelo aumento da receita e dos preços dos produtos.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado ficou em R$ 1,367 bilhão, quase em linha com a média das estimativas dos analistas de R$ 1,316 bilhão. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: