Déficit orçamentário dos EUA cai mais do que o esperado em outubro

As receitas do primeiro mês do ano fiscal do governo federal totalizaram US$ 284 bilhões.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Andrew Kelly/Reuters
Andrew Kelly/Reuters

Sede do Departamento do Tesouro dos EUA em Washington, D.C. EUA

Acessibilidade


O governo dos EUA divulgou hoje (10) um déficit orçamentário de US$ 165 bilhões em outubro, número 42% menor do que o rombo de US$ 284 bilhões de um ano antes, em queda que refletiu o aumento do recolhimento de tributos das pessoas físicas e jurídicas gerado pela recuperação da economia.

O déficit de outubro foi US$ 14 bilhões abaixo da estimativa mediana de US$ 179 bilhões feita por economistas consultados pela Reuters.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

As receitas do primeiro mês do ano fiscal do governo federal totalizaram US$ 284 bilhões, alta de 19% e um recorde para o mês de outubro. A arrecadação das pessoas físicas aumentou 18%, para US$ 214 bilhões, e o recolhimento dos impostos corporativos aumentou 39%, para US$ 21 bilhões.

Um técnico do Tesouro disse que os aumentos decorrem da melhora na economia após as paralisações generalizadas causadas pela pandemia de Covid-19 no ano passado, que desencadeou uma recessão curta mas acentuada. A recuperação do emprego está impulsionando o aumento da tributação das pessoas físicas, enquanto melhoras nos ganhos corporativos alimentam o crescimento nas receitas tributárias de empresas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os gastos também desaceleraram notavelmente em relação ao ano anterior, com despesas totais de US$ 449 bilhões, queda de 14% em relação aos US$ 522 bilhões em outubro de 2020. Despesas mais baixas com o Medicare, que caíram em US$ 56 bilhões, ou 44%, foram o maior impulsionador, enquanto o fim do aumento dos benefícios federais de desemprego em setembro foi responsável por uma queda de 91% nos gastos do Departamento do Trabalho. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: