Forbes Radar: Eletrobras, Petrobras, SmartFit e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Eletrobras, SmartFit, Mater Dei, Ocean Pact, Visa, UBS, Petrobras, Ourofino Saúde Animal.

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (22), o conselho de administração da Eletrobras aprovou a contratação de sindicato de bancos para estruturação da oferta de ações, como parte do processo de privatização da companhia.

A Petrobras realizará pagamento de dividendos de R$ 2,195126 e juros sobre capital de R$ 1,055361 por ação ordinária e preferencial da companhia, no dia 15 de dezembro, com base na posição acionária do dia 1 de dezembro para a B3 e 3 de dezembro para a NYSE.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

E a SmartFit anunciou sua sexta emissão de debêntures simples, com esforços restritos, no montante de R$ 1,325 bilhão. Os recursos serão utilizados para pagamento dos investidores da quinta emissão de debêntures e eventual reforço no capital de giro.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Eletrobras (ELET6)

A Eletrobras informou que seu conselho de administração aprovou a contratação de sindicato de bancos para estruturação da oferta de ações (“follow-on”) do processo de privatização da companhia.

Os coordenadores líderes do processo do “follow-on” serão Bank of America, BTG Pactual, Goldman Sachs, Itaú BBA e XP Investimentos.

Segundo a Eletrobras, os “bookrunners” da operação serão Bradesco BBI, Caixa Econômica Federal, Citi, Credit Suisse, JP Morgan, Morgan Stanley e Safra.

A companhia projetou nesta semana que a oferta de ações que vai diluir a participação da União na empresa ocorrerá até maio do próximo ano, mais tarde do que o esperado anteriormente.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras anunciou pagamento de dividendos de R$ 2,195126 por ação ordinária e preferencial, e distribuição de R$ 1,055361 de juros sobre capital próprio por ação ordinária e preferencial.

Os pagamentos serão realizados no dia 15 de dezembro, com data de corte do dia 1 de dezembro para a B3 e 3 de dezembro para os BDRs negociados na NYSE. Ou seja, todos os investidores que tiverem os papéis até esta dada receberam a distribuição de lucro da companhia.

SmartFit (SMFT3)

A SmartFit divulgou ao mercado a realização da sexta emissão de debêntures simples, com distribuição pública, não conversíveis em ações da companhia e de esforços restritos. A emissão terá montante de R$ 1,325 bilhão.

Os recursos adquiridos com a emissão serão utilizados pela SmartFit para pagamento dos investidores ao vencimento da quarta emissão de debêntures simples realizada pela companhia e resgate antecipado facultativo da quinta emissão de debêntures da empresa. Eventual saldo remanescente nestes recursos será destinado ao reforço de capital de giro da SmartFit.

Mater Dei (MATD3)

O conselho de admnistração do hospital Mater Dei aprovou o contrato de compra de 99,6% do Hospital Santa Genoveva e a aquisição de 100% do Centro de Tomografia Computadorizada de Uberlândia.

As operações tiveram valor de R$ 309 milhões, incluindo os imóveis, o equivalente a R$ 1,5 milhão por leito. Deste valor, será deduzido o endividamento líquido das companhias, que é de aproximadamente R$ 57 milhões. As receitas líquidas anualizadas dos ativos somam cerca de R$ 160 milhões.

Ocean Pact (OPCT3)

A Ocean Pact, empresa de serviços marítimos, informou ao mercado o encerramento da 3ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no valor total de R$ 500 milhões, que estão sob coordenação dos bancos Itaú BBA, Bradesco BBI, ABC Brasil e Votorantim.

Visa (VISA34)

A Visa espera resolver uma disputa com a Amazon.com no Reino Unido e também continuar parceria de cartão de crédito de marca compartilhada com a gigante do varejo nos Estados Unidos, disse o vice-presidente financeiro da empresa de cartões, Vasant Prabhu, à Reuters.

“Resolvemos essas coisas no passado e acredito que iremos resolvê-las no futuro”, disse em entrevista na sexta-feira. “É nossa expectativa que haja uma resolução para que os consumidores do não sejam afetados.”

Na última semana, a Amazon anunciou que estava considerando desistir de ter a Visa como parceira no cartão co-branded entre as duas empresas nos EUA e que iria parar de aceitar cartões da bandeira no Reino Unido.

UBS (UBSG34)

O UBS nomeou neste fim de semana o ex-presidente do Morgan Stanley, Colm Kelleher, como sua escolha inesperada para suceder Axel Weber como chair da maior gestora de fortunas do mundo assim que ele encerrar seu mandato, em abril.

Kelleher, um irlandês de County Cork, aposentou-se do cargo no Morgan Stanley em 2019, após três décadas no banco de investimentos dos EUA, incluindo como diretor financeiro durante a crise financeira global, mas permaneceu no banco como consultor especial.

O UBS estava ansioso para contratar um chair com experiência em um banco de investimento para trabalhar em estreita colaboração com o ex-chefe do ING, Ralph Hamers, que se tornou presidente-executivo do maior banco da Suíça no ano passado e se comprometeu a melhorar os serviços digitais.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras identificou a presença de hidrocarbonetos em poço pioneiro do bloco Aram, no pré-sal da Bacia de Santos, informou a petroleira em comunicado ao mercado. O poço 1-BRSA-1381-SPS (Curaçao) está localizado a 240 km da cidade de Santos-SP, em profundidade d’água de 1.905 metros.

O bloco Aram foi adquirido em março de 2020, na 6ª rodada de licitações de áreas do pré-sal, sob regime de Partilha de Produção. A Petrobras é a operadora do bloco e detém 80% de participação, em parceria com a chinesa CNODC (20%). Leia aqui a notícia completa.

Ourofino Saúde Animal (OFSA3)

A Ourofino Saúde Animal, empresa sediada em Cravinhos (SP), anunciou a aquisição da startup de biotecnologia Regenera, sediada em Campinas (SP), e que atua no segmento de equinos e pets. Detentora de patente no Brasil, Austrália e Estados Unidos, a empresa desenvolveu terapia com células-tronco para o tratamento de doenças importantes, como a osteoartrite, sendo a primeira do Brasil a obter o registro do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para vender o produto.

O investimento da Ouro Fino foi de R$ 20 milhões. O tratamento com células-tronco passou a ser regulamentado pelo CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária) em outubro do ano passado. Com esse movimento, a Ourofino amplia seu acesso ao mercado de biotecnologia. Leia aqui a notícia completa.

(Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: