Forbes Radar: Méliuz, JBS, Mercado Livre e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: Méliuz, Petrobras, Mercado Livre, JBS, App Facily, Espaçolaser, Dimed, Eternit, Walmart, Stone.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (17), a Méliuz divulga prejuízo líquido de cerca de R$ 2,95 milhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo o lucro de R$ 4,73 reportado no mesmo período de ​​2020.

A Petrobras anuncia assinatura de contrato com a Potiguar E&P, subsidiária da PetroReconcavo, para compartilhamento da infraestrutura de escoamento e processamento de gás natural de Guamaré, no Rio Grande do Norte.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O Mercado Livre, por sua vez, comunicou que o preço de suas ações será de US$ 1.550,00 cada na oferta follow-on prevista para a Nasdaq.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Méliuz (CASH3)

A Méliuz teve prejuízo líquido de cerca de R$ 2,95 milhões no terceiro trimestre, revertendo lucro de R$ 4,73 milhões no mesmo período do ano anterior, segundo balanço divulgado na terça-feira (16) pela companhia.

O Ebtida foi negativo em R$ 9,3 milhões, por conta, principalmente, de aumento nas despesas de linha pessoal, “o que está em linha com a nossa estratégia”, segundo a empresa.

A receita líquida total somou R$ 58,7 milhões, crescimento de 129% na mesma base de comparação, em meio a um resultado recorde de geração de GMV, de R$ 1,1 bilhão, sem considerar aquisições.

A empresa fechou o trimestre com um total de 20,8 milhões de contas abertas, um crescimento de 9,1 milhões em relação ao terceiro trimestre de 2020. A companhia também divulgou pela primeira vez a métrica “take rate”, que foi de 6,2%, ante 5,6% em base anual.

Na manhã de hoje, a Méliuz abriu a lista de espera para seu novo cartão de crédito, que será lançado ao mercado em janeiro de 2022.

Mercado Livre (MELI34)

O Mercado Livre comunicou ontem (16) que fixou o preço de uma oferta de ações a US$ 1.550,00 cada, o que representa um desconto de cerca de 5% em relação à cotação de fechamento das ações na véspera.

A oferta alcança 1 milhão de ações, totalizando US$ 1,55 bilhão. A operação também prevê opção de compra em até 30 dias de um adicional de 150 mil papéis.

JBS (JBSS3)

A JBS informou ontem (16) que emitiu e precificou no mercado de capitais internacional US$ 2 bilhões, com as menores taxas de sua história, em sua primeira emissão após receber a classificação de “full investment grade” das agências Fitch e Moody’s.

Metade do volume foi emitida por meio da sua subsidiária JBS Finance Luxembourg, em notas sêniores, com valor de face de US$ 98,947, yield de 2,72% ao ano, cupom de 2,5% ao ano e vencimento em 2027.

A outra metade foi emitida por meio de suas subsidiárias JBS USA Lux, JBS USA Finance e JBS USA Food Company, em “sustainability-linked unsecured senior notes” atrelados ao compromisso de redução de emissões de gases de efeito estufa, com valor de face de US$ 98,709, yield de 3,146% ao ano, cupom de 3,0% ao ano e vencimento em 2032.

“A JBS pretende utilizar os recursos das Notas 2027 para refinanciar compromissos de curto prazo, além de cobrir outros propósitos corporativos gerais”, disse a empresa. “Já as Notas 2032 serão usadas para o resgate do saldo das Notas Sêniores com remuneração de 7,000% e vencimento em 2026 emitidos pela JBS USA Food Company”.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras informou ontem (16) que assinou com a Potiguar E&P, subsidiária da PetroReconcavo, contratos de compartilhamento da infraestrutura de escoamento e processamento de gás natural de Guamaré, no Rio Grande do Norte.

Com isso, a Potiguar E&P poderá ofertar diretamente ao mercado gás próprio produzido em terra no estado nordestino.

Esse movimento soma-se a várias outras medidas da Petrobras para a efetiva abertura do mercado, viabilizando a diversificação dos agentes e aumento da concorrência em todos os elos da cadeia de gás natural, disse a estatal.

A Petrobras vendeu ativos de transporte de gás; reduziu o volume de gás contratado com a YPFB no gasoduto Bolívia-Brasil, permitindo que outros agentes do mercado brasileiro possam negociar compras de gás diretamente com a YPFB (tal como ocorreu com a UTE Cuiabá em 2021); e recentemente assinou contrato de arrendamento do Terminal de Regaseificação de GNL da Bahia (TR-BA), entre outras iniciativas.

A companhia também pretende sair das participações de transporte e distribuição de gás, em linha com os compromissos assumidos junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em julho de 2019.

App Facily

O app Facily, de compras coletivas, anunciou nesta terça-feira que recebeu um aporte de US$ 250 milhões em uma quarta rodada de financiamento que coloca a companhia brasileira próxima da condição de unicórnio, denominação usada para startups avaliadas em pelo menos US$ 1 bilhão.

O anúncio ocorreu poucos dias depois de a empresa fechar acordo com o Procon-SP para solucionar queixas de consumidores prejudicados por problemas que incluem atrasos em entrega de produtos e falta de reembolso. Segundo o Procon-SP, desde o início do ano até outubro o app registra mais de 150 mil queixas no órgão de proteção dos consumidores.

“Com os novos investimentos recebidos, a empresa irá focar na eficiência logística para acelerar as entregas dos pedidos realizados na plataforma, além de trabalhar na expansão nacional”, afirmou a companhia em comunicado à imprensa.

O aporte mais recente recebido pela Facily foi liderado por DX Ventures e Delivery Hero, com Citius também participando da rodada. Antes disso, a empresa levantou US$ 116 milhões em outras três rodadas nos últimos 12 meses. A Facily não informou qual a avaliação da companhia após o novo aporte.

A empresa foi fundada por Diego Dzodan, ex-vice-presidente do Facebook para América Latina, e pelos executivos Luciano Freitas e Vitor Zaninotto em 2018.

Espaçolaser (ESPA3)

A Espaçolaser divulgou abertura de 47 lojas no terceiro trimestre de 2021, totalizando 109. O valor representa aumento de 20% em comparação com o mesmo trimestre de 2020. A empresa registrou lucro líquido de R$ 19,1 milhões, frente ao prejuízo reportado no ano passado. A margem líquida foi anunciada em 8,5%, com crescimento de 107,9% na receita líquida, para R$ 224 milhões.

Dimed (PNVL3)

A distribuidora de produtos farmacêuticos Dimed teve crescimento de 18,1% na receita bruta do varejo registrada no terceiro trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado. A receita foi de R$ 787,9 milhões e a margem bruta de 29,6%. A companhia também reportou lucro líquido de R$ 20,3 milhões e margem líquida de 2,4%.

Eternit (ETER3)

A Eternit anunciou nesta terça-feira que uma controlada do grupo vai construir uma fábrica de telhas de fibrocimento em Caucaia (CE), com investimento previsto de R$ 165 milhões.

A nova unidade deve entrar em operação em 2023, com capacidade inicial de cerca de 7 mil toneladas por mês. O projeto “contempla a infraestrutura necessária para a sua duplicação em uma segunda etapa”, afirmou a companhia em fato relevante.

Walmart (WALM34)

O Walmart aumentou ontem (16) suas previsões de vendas e lucro anuais, esperando um aumento na demanda por brinquedos e roupas no final do ano mesmo com interrupções na cadeia de fornecimento global atingindo suas margens no terceiro trimestre.

A varejista norte-americana estimou que as vendas mesmas lojas nos Estados Unidos em todo o ano cresçam mais de 6%, ante projeção anterior de alta de 5% a 6%. Para o lucro ajustado, calcula cerca de 6,40 dólares por ação, ante uma faixa anterior de 6,20 a 6,35 dólares.

A companhia, no entanto, manteve os preços baixos para atrair os clientes e contornou a escassez da cadeia de suprimentos fretando seus próprios navios para enviar mercadorias, e encomendando produtos para os EUA com bastante antecedência.

A medida ajudou o Walmart a aumentar o estoque norte-americano em 11,5% antes da movimentada temporada de festas, com executivos dizendo que as medidas tomadas para lidar com atrasos nos portos posicionaram o Walmart para o final do ano.

No terceiro trimestre, as vendas nas lojas dos EUA abertas há pelo menos um ano aumentaram 9,2%, excluindo combustível, beneficiando-se da maior demanda de alimentos e pessoas comprando mais nas lojas. Analistas estimavam ganho de 7,04%, segundo dados do Refinitiv.

Os negócios internacionais do Walmart cresceram cerca de 10%, excluindo o impacto das flutuações cambiais e desinvestimentos, se beneficiando das fortes vendas na China e na Flipkart da Índia, que recebeu um grande impulso de seu evento promocional antes do festival local de Diwali.

As margens brutas do Walmart no trimestre, porém, diminuíram 42 pontos-base, mesmo com o aumento das contribuições de seu negócio de publicidade ajudando a compensar algumas das pressões da cadeia de suprimentos.

A receita total cresceu 4,3%, para 140,53 bilhões de dólares, acima do esperado. Em uma base ajustada, o lucro foi de 1,45 dólar por ação.

Stone (STOC31)

A empresa de meios de pagamento StoneCo teve lucro líquido ajustado de R$ 132,7 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 53,9% sobre o resultado de um ano antes, segundo balanço divulgado hoje.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 473,3 milhões de julho ao fim de setembro, queda anual de 8%. Analistas esperavam lucro líquido de R$ 193 milhões para a Stone no terceiro trimestre, segundo dados da Refinitiv. Leia aqui a notícia completa.

Compartilhe esta publicação: