Ibovespa abre em queda com votação da PEC dos Precatórios no Senado

Dólar cai com dúvida sobre eficácia das vacinas contra a nova variante do Covid-19 .

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em queda de 0,30% abertura do pregão de hoje (30), a 102.508 pontos perto das 10h10, horário de Brasília. O mercado doméstico continua de olho nas negociações da PEC dos Precatórios. No cenário internacional, a dúvida sobre a eficácia das vacinas atualmente disponíveis contra a variante ômicron da Covid-19 movimenta as bolsas.

O dólar perde 0,22% ante o real por volta das 10h10. A moeda era negociada a R$ 5,5980.

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,6% nos três meses até setembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. O resultado ficou abaixo do registrado no segundo trimestre de 2021, quando o índice chegou a  14,2%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O setor público consolidado brasileiro registrou superávit primário de R$ 35,4 bilhões de em outubro, com o déficit primário caindo a 0,24% do Produto Interno Bruto (PIB) no acumulado em 12 meses, informou o Banco Central nesta terça-feira.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O resultado é composto pelos superávits de R$ 29 bilhões do Governo Central e de R$ 6,6 bilhões dos governos regionais, e pelo déficit de R$ 300 milhões das empresas estatais. Tal resultado foi acima de nossa projeção (R$ 30,4 bilhões), mas foi em linha com a expectativa mediana do mercado, que esperava superávit de R$ 35 bilhões”, avaliou Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

Os investidores estão atentos à votação da PEC dos Precatórios na CCJ do Senado. Caso o texto seja aprovado hoje, a matéria será discutida amanhã em plenário.

Também em Brasília, o Congresso Nacional aprovou um projeto de resolução que busca conferir transparência às chamadas emendas de relator ao Orçamento. A proposta estabelece um limite de recursos a serem utilizados por esse instrumento que, em 2022, chegaria a R$ 16,2 bilhões.

Editado na esteira do episódio que ficou conhecido como “orçamento secreto”, o projeto de resolução tem a intenção de atender a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte, após provocação de parlamentares e partidos políticos, determinou maior transparência sobre a destinação das emendas de relator.

O Projeto de Lei Orçamentária para 2022 prevê R$ 10,5 bilhões para emendas individuais e R$ 5,7 bilhões para emendas de bancada, o que equivale a um teto para emendas de relator de R$ 16,2 bilhões.

Mercados internacionais

Nos Estados Unidos, o chair do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou que continua a esperar que a inflação retroceda no próximo ano conforme oferta e demanda se equilibrarem. Ele alertou, no entanto, que a nova cepa da Covid-19 turva o cenário, e que os preços podem continuar a subir por mais tempo do que imaginado antes.

“É difícil prever a persistência e efeitos das restrições de oferta, mas parece agora que fatores que elevam a inflação vão persistir no próximo ano”, afirma Powell em declarações que foram preparadas para audiência desta terça-feira no Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos e divulgadas ontem pelo Fed.

A economia continua a se fortalecer, e o mercado de trabalho a melhorar, elevando os salários, disse ele. Neste mês, o Fed começou a diminuir seu suporte à economia reduzindo gradualmente as compras de ativos a um ritmo que pode encerrá-las até junho próximo.

Na Ásia, as ações da China fecharam em baixa nesta terça-feira depois que a farmacêutica norte-americana Moderna fez novos alertas sobre a variante ômicron. Dados divulgados hoje mostraram que o setor de serviços da segunda maior economia do mundo cresceu em ritmo ligeiramente mais lento em meio a surtos regionais de Covid-19.

A atividade industrial do país acelerou inesperadamente em novembro, crescendo pela primeira vez em três meses com o alívio no aumento dos preços de matérias-primas e no racionamento de energia.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) oficial de indústria subiu a 50,1 em novembro, ante 49,2 em outubro, mostram dados da Agência Nacional de Estatísticas da China. A marca de 50 pontos separa crescimento de contração.

Analistas preveem que a desaceleração no Produto Interno Bruto vista no terceiro trimestre continuará no quarto, com expectativa de que a demanda permaneça fraca.

O Hang Seng, de Hong Kong, desvalorizou 1,58%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em baixa de 0,34%. Já na China continental, o índice Shanghai ganhou 0,03%; e no Japão, o índice Nikkei recuou 1,63%.

Na Europa, a inflação disparou à maior taxa já registrada em novembro devido ao aumento dos custos de energia, provavelmente atingindo um pico antes de uma lenta desaceleração que vai mantê-la em patamares altos por grande parte do próximo ano, segundo dados da Eurostat.

A alta dos preços ao consumidor nos 19 países que usam o euro acelerou a 4,9% em novembro sobre o ano anterior, de longe o nível mais alto nos 25 anos da série histórica, e acima da expectativa de 4,5%.

Os preços da energia dispararam 27% em comparação com o mesmo período do ano anterior, refletindo a alta dos custos do petróleo, mas a inflação de serviços e produtos industriais não relacionados à energia, um peso nos últimos anos, ficou acima de 2%, sugerindo rápido aumento nas pressões de preços.

Por lá, as bolsas operam em leve queda. O Stoxx 600 perdia 0,95%; na Alemanha, o DAX cai 1,19%; o CAC 40 em baixa de 1,03% na França; na Itália, o FTSE MIB cai 1,03%; enquanto o FTSE 100 tem desvalorização de 0,81% no Reino Unido.

Commodities

Os contratos futuros do minério de ferro chinês saltaram mais de 6% nesta terça-feira, impulsionados pela recente demanda de reabastecimento das siderúrgicas, mas analistas preveem que investimentos fracos em imóveis e infraestrutura vão diminuir o consumo de longo prazo da matéria-prima siderúrgica.

O contrato do minério de ferro mais negociado Bolsa de Commodities de Dalian, para entrega em janeiro, fechou em alta de 2,4%, a 610 iuanes (US$ 95,75) a tonelada, após subir até 6,4%, para 633 iuanes, no início das negociações.

Compartilhe esta publicação: